De olho na política

Por Erica Lima

Coluna

01/08/22 08:28 | Atualizado em: 01/08/22 08:28

POLÍTICA

Em última cartada, Gomes tenta juntar Kátia e Dimas





Até sexta-feira, 05, o Tocantins vai conhecer todos os candidatos que irão disputar as eleições em outubro deste ano.

Em meio a realização das convenções, Eduardo Gomes (PL) ainda tenta fortalecer a candidatura de Dimas trazendo para o grupo um nome de peso, e o foco é a senadora Kátia Abreu.

Após ser preterida pelo Palácio Araguaia, Kátia tem caminhado sozinha e muitos acreditam que a parlamentar buscará a reeleição em uma campanha avulsa. Articuladora feroz, Kátia já teria o apoio de 80 prefeitos.

Dimas segue sem decolar, além do apoio declarado de Gomes, até esta segunda-feira, 1, apenas um prefeito, o de Araguaína, Wagner Rodrigues, declarou publicamente apoio a sua candidatura.

Não há dúvida que Gomes terá que fazer um verdadeiro malabarismo para fazer a candidatura de seu aliado decolar. O timing para a união da oposição já passou e só resta ao senador traçar estratégias para fortalecer o projeto.

Uma coisa é certa, caso consiga convencer Kátia a assumir a vaga da senatória no grupo, Dimas poderá ganhar o apoio de um espólio conquistado pela expertise política da senadora.


29/07/22 07:16 | Atualizado em: 29/07/22 07:16

POLÍTICA

Candidatura de Carlesse cresce e atrai apoiadores





Aqueles que pensaram que o ex-governador Mauro Carlesse (Agir) iria se aposentar da política após a renúncia se surpreenderam.

Carlesse tem caminhado sozinho, deve investir em uma campanha avulsa e tem atraído apoiadores.

Após o lançamento de sua pré-candidatura em Gurupi, Carlesse iniciou as suas andanças pelo Bico do Papagaio. Lá ele garantiu o importante apoio do prefeito de Axixá, Dr. Auri, figura política importante e de grande influência na região.

O ex-governador tem dito que possui o apoio de 20 prefeitos. Aliados acreditam que ele deve começar a dar trabalho às candidaturas que acreditaram em um cenário polarizado.

O time de Carlesse está em campo colecionando alianças. AS próximas pesquisas já devem mostrar um crescimento em torno do ex-gestor.


27/07/22 07:04 | Atualizado em: 27/07/22 07:04

POLÍTICA

Candidatura de Irajá ao Governo continua sendo defendida por aliados






Há quem acredite que o PSD possa mudar de ideia, deixar o palanque de Osires Damaso do PTC e investir na candidatura do senador Irajá Abreu ao Palácio Araguaia.
Essa é a esperança de muitos aliados que apoiam o parlamentar e que vêm nele uma grande figura de liderança.

Uma chapa composta por Irajá para o Governo e Kátia para o senado é um sonho entre os integrantes do grupo. Muitos líderes dizem que o projeto de governador não está excluído dos planos do senador.

Por onde passa, Irajá garante que vai terminar o mandado, porém a possibilidade de uma ascensão ao Araguaia e seu poder de articulação o transformou em um dos políticos mais respeitados do estado.

A decisão final do PSD só será conhecida após a convenção da sigla, que deve acontecer em 5 de agosto.

19/07/22 09:50 | Atualizado em: 19/07/22 09:50

POLÍTICA

Plano B de Dimas pode não ter dato certo e grupo parte para plano C




Após perder em definitivo a professora Dorinha (UB), o grupo encabeçado pelo ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PL) parece que ainda busca um nome para a vaga de senador na chapa.

O plano B, exposto por Dimas no início do mês, era a possibilidade da indicação do nome de Eli Borges(PL) para a vaga. Eli possui características conservadoras e traz consigo uma legião de apoiadores evangélicos. Entretanto, a presença de seu filho Tiago Borges (PL) no lançamento da pré-candidatura de Mauro Carlesse (Agir) em Gurupi, pode ter minguado a possibilidade.

Sem nomes no gatilho, o PL parte para o ataque e começa a cortejar o ex-senador Ataides de Oliveira (PROS).

Ataídes tem caminhado sozinha, mas sua pré-candidatura ganhou musculatura e seu nome se mostrou competitivo. O ex-parlamentar tem angariado apoios por onde passa. Estima-se que 800 vereadores do estado já aderiram ao seu projeto.´

O ex-senador se reuniu com Dimas e Gomes em Brasília na última sexta-feira, 15, e voltou a conversar com o grupo ontem, segunda-feira, 18.

Aliados reforçam que a força de Ataídes não pode ser desprezada, afinal, em 2018 ele teve pouco mais de 170 mil votos.

Muita coisa vai acontecer até o dia 5 de agosto. Quem viver, verá!

 

18/07/22 07:28 | Atualizado em: 18/07/22 07:56

POLÍTICA

Dorinha com Wanderlei e Luxemburgo sem Damaso; semana começa com expectativa de mudanças no cenário






A semana começa com a expectativa de importantes movimentações políticas.

Nesta terça-feira, 19, um dia antes do início do prazo para realização das convenções, o Republicanos realizará um grande evento para oficializar a aliança com o União Brasil.

Dessa aliança sairá a confirmação do nome da deputada federal Professora Dorinha como ocupante da vaga de candidato a senador na chapa encabeçada pelo governador Wanderlei Barbosa.

Também está marcada para esta semana a primeira convenção. O PSB realizará o seu evento na quinta-feira, 21, a partir das 9 horas no auditório da Assembleia Legislativa em Palmas. Existe a expectativa de que decisões estratégicas sejam tomadas por parte do partido. Uma delas é o destino da candidatura ao senado do ex-técnico de futebol e empresário, Vanderlei Luxemburgo.

Não se sabe ainda se, com a adesão do PSD ao grupo formado pelo PSB e pelo PSC, a vaga na senatória continuará com o pré-candidato.

Tudo pode acontecer a partir desta semana.
Quem viver, verá!

 

15/07/22 18:25 | Atualizado em: 15/07/22 18:34

POLÍTICA

WANDERLEI E DIMAS JUNTOS? Tudo pode acontecer antes das convenções






Nos últimos dias, o pré-candidato do PL, Ronaldo Dimas, vê a sua campanha minguar antes de começar.

A PESQUISA PROMOTION/STYLO foi a primeira a mostrar a mudança de cenário com a queda avassaladora de Dimas, que até então, era líder nas pesquisas.

Aliados temem que a presença de Eduardo Gomes no Tocantins não seja suficiente para garantir a adesão de líderes ao projeto do ex-prefeito de Araguaína. O que fica claro é que Dimas não convenceu.

Na contramão do PL, o Wanderlei Barbosa (Republicanos) vem crescendo e agregando. A possibilidade da adesão do União Brasil, com a professora Dorinha como senadora na chapa governista fortaleceu o grupo e o governador e pré-candidato a reeleição vem colecionado apoios. Dois motivos podem ser visto no crescimento de Wanderlei: O primeiro é a desconfiança dos líderes quando ao projeto de Dimas. E o segundo e a dificuldade dos municípios em sobreviverem longe do guarda-chuvas do Palácio Araguaia.

O que se sabe é que faltando cinco dias para o início do período de convenções, sem paixão e sem sentimentalismo, os grupos conversam e tudo pode acontecer.

Com possibilidades abertas e após visualizarem a musculatura que o PSC ganhou com a pré-candidatura de Osires Damaso, Eduardo Gomes e Ronaldo Dimas chamaram o postulante para uma conversa. O objetivo do encontro foi debater a possibilidade de uma da aliança e da montagem de um projeto comum. Damaso, no entanto, tem crescido nas pesquisas e por onde passa diz que sua candidatura é irreversível.

Neste cenário Dimas sai de pré-candidato ao governo para pré-candidato a vice. Todos os cenários estão abertos, inclusive esse. Uma chapa encabeçada com Damaso, com Dimas de vice.

Wanderlei e Dimas

Sem paixões e sem sentimentalismo, tem quem acredite numa aliança entre Dimas e Wanderlei. Um cenário possível para muitos e impossível para aliados.

O raciocínio é lógico. Dimas entraria na chapa governista, trazendo todo o espólio de Eduardo Gomes em um acordo que lhe garantiria a possibilidade de disputar as próximas eleições, com o apoio do Governo e chances reais de ser eleito em 2026.

Ele traria também partidos importantes, como o PSDB de Cinthia Ribeiro, que ainda está confuso sobre os caminhos a seguir, mas tende a aderir ao projeto do PL.

A chapa Wanderlei-Dimas-Dorinha ganharia musculatura para enfrentar a chapa de Damaso, com a possibilidade de eleição ainda no primeiro turno.

A situação ainda está nebulosa. Mas como dizia meu saudoso editor Hércules Dias: Quem viver, verá! Bordão, que a partir de hoje utilizarei em meus editoriais..



 

12/07/22 09:11 | Atualizado em: 12/07/22 09:11

POLÍTICA

Com licença de Gomes, quem assume a vaga no senado?






O Tocantins vive a expectativa de uma possível licença do senador Eduardo Gomes (PL) para se dedicar ao processo eleitoral no Tocantins.

A presença de Gomes no estado está sendo aguardada com ansiedade por aliados que têm visto minguar a candidatura de Ronaldo Dimas (PL) ainda na pré-campanha.
Mas afinal, com um possível afastamento de Gomes, quem assumiria a sua cadeira no Senado Federal?

O primeiro da lista é o ex-governador Siqueira Campos, de 93 anos, primeiro suplente de Eduardo Gomes.

O segundo suplente é o empresário do ramo farmacêutico Ogari Pacheco, dono do Laboratório Cristália. Ele tem 83 anos e é considerado um dos 100 empresários do ramo mais influentes do mundo de acordo com levantamento feito pela revista Healthcare Management.

Esses são os nomes que podem representar, pelo menos de maneira temporária, o Tocantins no Senado.
  

11/07/22 07:29 | Atualizado em: 11/07/22 07:29

POLÍTICA

Expectativa para novas movimentações no cenário aquece semana política no Tocantins


 



A semana começa cheia de expectativas quanto novas movimentações no cenário da política tocantinense.

A 10 dias para o início das convenções partidárias, o quadro ainda está nebuloso no estado e ainda não existe o desenho concreto das chapas que concorrerão nas eleições deste ano.

O que se sabe é que está prevista para esta semana a entrada definitiva do senador Eduardo Gomes (PL) na pré-campanha de Ronaldo Dimas. A presença do senador virou a principal arma do grupo para fazer a candidatura do ex-prefeito de Araguaína decolar.

Nos últimos dias , Dimas viu a sua pré-campanha perder força e apoiadores. O pré-candidato também corre o risco de perder a aliança com o União Brasil. A evasão do partido leva consigo a possibilidade da candidatura da Professora Dorinha como senadora em sua chapa e o fundo eleitoral milionário da sigla.

Do outro lado está a senadora Kátia Abreu (PP) que ainda busca, de maneira desesperada, se mantar no grupo palaciano. A relação de Kátia foi abalada pela aliança entre o PDT e o PSC, anunciada por Irajá na semana passada. A senadora busca consolidar a sua candidatura a reeleição em uma chapa competitiva.

Uma coisa é certa, se Irajá conseguir convencer a mãe a aderir ao projeto de Osisre Damaso, quem pode sair prejudicado é Vanderlei Luxemburgo (PSB), que já colocou sua pré-campanha ao senador em campo e que tem tido um crescimento muito grande nas cidades do interior.
Uma coisa é certa! Essa será uma semana que promete.

04/07/22 07:51 | Atualizado em: 04/07/22 07:51

POLÍTICA

Caso Amália Santana e a fidelidade partidária






Muita gente deve estar julgando absurda o fato do PT ter negado legenda a deputada estadual Amália Santana.

Pois bem! a questão, é que o PT e seus filiados tomaram uma decisão, totalmente legal e arbitrada pela legislação partidária, e que a deputada e seu staff terão dificuldade para reverter

Ora, a lógica é simples, é uma questão de fidelidade ao partido: Como manter na disputa uma parlamentar que declarou abertamente que não irá apoiar o projeto da sigla?

A decisão pela exclusão de Amalia foi de 44 a 7 e o motivo alegado foi seu posicionamento declarado em favor da candidatura a reeleição do governador Wanderlei Barbosa (Republicanos) e da senadora Kátia Abreu (PP)

O PT, como todos sabem, tem Paulo Mourão como pré-candidato ao governo e o empresário João Helder Vilela como possibilidade para o senado.

Na lógica partidária, onde um partido é um grupo de pessoas com o mesmo objetivo, Amália deveria apoiar o projeto do PT, assim como Lula, pré-candidato a presidência pelo partido, que condicionou o apoio a Kátia Abreu a uma composição com o PT no estado.

A deputada disse que vai recorrer a executiva nacional. Isso significa que essa história terá novos capitulos.
 

08/06/22 07:59 | Atualizado em: 08/06/22 07:59

POLÍTICA

MAIS ESTRADAS E MAIS INCENTIVOS: Wanderlei acerta nas decisões e agrada setor produtivo






Uma coisa é certa, seu jeito político de quem conhece os problemas tocantinenses, tem feito com que governador Wanderlei Barbosa (Republicanos) tem ganhado a confiança do setor produtivo.

AS decisões administrativas do gestor tem agradado a cadeia e atraído investidores.

Exemplos não faltam e dois ganham destaque. O primeiro é a sanção da Lei que regulamenta a concessão de benefícios fiscais do Programa de Industrialização Direcionada, Proindústria, para o setor frigorífico e de produção de carne bovina.

O benefício fiscal estabelece um valor diferenciado de alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para frigoríficos e produtores de carne no Tocantins. Wanderlei retomou esse benefício que havia sido suspenso em 2019. A decisão foi comemorada pelo setor.

O gestor também está com foco nas estradas do estado e esse é o segundo destaque. Não é segredo que as rodovias estão sucateadas, porém está previsto o lançamento de um pacote de obras que deve investir R$ 500 milhões no setor.

.Wanderlei já atacou gargalos. Autorizou a reconstrução da TO-335, entre Colinas e Palmeirante. Rodovia que liga a BR-153 ao pátio da Ferrovia Norte Sul e que recebe cerca de 400 caminhões carregados de soja diariamente em período de safra. Lá, o investimento será de R$ 45 milhões.

O gestor também foi a Brasília para solicitar agilidade no processo de federalização da TO-050, no trecho entre as cidades de Porto Nacional e Silvanópolis. A autorização para que a rodovia seja reintegrada a BR-010 já foi dada e o assunto foi pauta em encontro com o ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio Cunha.
A expectativa é de que seja lançado, ainda essa semana, um novo pacotão de obras em todo o Tocantins.

Wanderlei tem mantido a estabilidade das contas e a capacidade de realizar investimentos importantes em infraestrutura que irão trazer benefícios positivos para a economia do estado.




 

31/05/22 08:32 | Atualizado em: 31/05/22 08:32

POLÍTICA

Desistência de Dória mexe com cenário do Tocantins e Cinthia fica livre para seguir para onde quiser





É evidente que a desistência de João Dória (PSDB) de disputar as eleições presidenciais este ano fez com que as amarras de Cinthia Ribeiro fossem cortadas.

Agora, sem a obrigatoriedade de apoiar qualquer candidato, Cinthia, que é presidente estadual do PSDB, está livre para seguir qualquer caminho.

A gestora ainda não divulgou suas intenções nas eleições deste ano. Mas, ela tem uma boa relação com Eduardo Gomes (PL), que tem seu irmão, André, como vice-prefeito de Palmas, e isso pode favorecer uma aliança com Ronaldo Dimas.

Nos últimos dias, a Cinthia também se mostrou muito próxima do atual governador Wanderlei Barbosa (Republicanos). Ao seu lado, ela visitou a Agrotins, fez questão de ir ao Palácio convidá-lo para as comemorações do aniversário de Palmas e, após mais de uma década, a programação contou com a presença e a participação de um govenador do estado.

Damaso também seria um caminho possível para o PSDB de Cinthia, mas aliança fica inviabilizada em decorrência da presença do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), seu principal adversário político, no grupo do deputado federal.

Uma coisa é certa, Cinthia é prefeita da cidade que possui o maior colégio eleitoral do estado e seu apoio pode significar a diferença necessária nas eleições de outubro deste ano.


25/05/22 08:22 | Atualizado em: 25/05/22 08:22

POLÍTICA

Osires e Luxemburgo: Nasce a terceira via no Tocantins






A união entre o PSC e o PSB formalizada na manhã da última terça-feira, 23, em Palmas, poderá consolidar uma chapa competitiva que irá agradar os indecisos.

O ex-tecnico de futebol Vanderlei Luxemburgo, pré-candidato ao senado pelo PSB, sai fortalecido da união com Osires Damaso (PSC), pré-candidato ao governo do Tocantins.

Luxemburgo é empresário no Tocantins e tem tido boa aceitação nos municípios. Já Damaso, que atualmente é deputado federal, tem dito que não abrirá mão de sua candidatura e com a promessa de fazer mais gestão e menos política, pode agradar os eleitores tocantinenses.

Uma coisa é certa: Da união entre os dois partidos, nasceu a terceira via no Tocantins.

17/05/22 07:13 | Atualizado em: 17/05/22 07:13

POLÍTICA

Candidatura de Mantoan gera questionamentos: A hipocrisia ainda reina na política do Tocantins







Nas rodas de conversas políticas em Palmas, um assunto tem chamado a atenção: a possível candidatura de Eduardo Mantoan, marido da prefeita da Capital, Cinthia Ribeiro.

Pessoas conhecidas do mundo da política têm criticado o fato da gestora de Palmas estar tentando emplacar o marido em uma das vagas de deputado federal.

Muita hipocrisia em um mundo em que a famíliocracia e o patriarcado ainda reinam.

No estado, existem exemplos interessantes. O ex-governador Marcelo Miranda elegeu sua esposa, Dulce, como deputada federal. Siqueira, fez de seu filho Eduardo prefeito de Palmas e senador. O próprio governador Wanderlei Barbosa tem um irmão vereador e um filho deputado estadual. Sem contar Ronaldo Dimas, que está lá na oposição ao Araguaia, mas que elegeu Tiago Dimas, seu filho, como deputado federal.

A familiocracia no Tocantins não é algo recente. Desde sua criação, a política é exercida no estado respeitando as relações familiares

De pai para filho e, dentre outros parentescos, as teias e legados políticos vão sendo expandidos em pleno século XXI.

A pergunta é: Porque o caso de Mantoan soa tão diferente e causa tanta controvérsia entre os próprios políticos?

A resposta pode até estar errada, mas é proveniente do machismo que ainda rodeia a sociedade. Para eles, uma mulher não poder dar prosseguimento ao seu legado político.

Muita hipocrisia para um estado que tem mãe e filho como senadores.


 

09/05/22 07:41 | Atualizado em: 09/05/22 07:41

POLÍTICA

Wanderlei terá o desafio de realizar a Agrotins em meio a mudanças no Ruraltins e a falta de investimentos em publicidade






A semana começa com muito expectativa. O governador Wanderlei Barbosa tem a missão de retomar a Agrotins após dois anos de edições virtuais do evento.

A maior feira agrotecnológica da região norte do Brasil começa nessa terça, 10. Esse é o maior evento da gestão de Wanderlei e será realizada em meio a mudanças na cúpula do Ruraltins, um dos órgãos da linha de frente da organização.

A última edição presencial da feira, realizada em 2019, contou com 710 expositores, 150 mil visitantes e um volume de negócios de R$ 2,5 bilhões. O objetivo do governo é superar esses números em 2022.

Wanderlei também terá como desafio a impossibilidade de investir em publicidade, já que sua gestão esbarrou em dois imbróglios: O primeiro são as questões eleitorais e o segundo foi o cancelamento do processo licitatório para contratação das empresas que ficariam responsáveis pela publicidade do Governo.

Toda divulgação da Agrotins deverá ser realizada por meio das redes sociais e da veiculação de mídias espontâneas. A falta da publicidade poderá impactar negativamente o resultado do evento.

A 22ª edição da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins 2022) que acontece de 10 a 14 de maio, no Parque Agrotecnológico do Tocantins.







04/05/22 07:07 | Atualizado em: 04/05/22 07:07

POLÍTICA

Aliados tentam minar relação de Kátia e Wanderlei, mas estratégia pode trazer riscos






O site do jornal Paralelo 13 trouxe a informação de que em uma reunião na residência de Valdemar Júnior (Republicanos), cerca de 19 deputados se mobilizaram contra a aliança entre o Palácio Araguaia e a senadora Kátia Abreu (PP).

Os deputados querem que Wanderlei Barbosa (Republicanos) se aproxime da deputada federal Professora Dorinha (UB), pré-candidata ao senado. Os parlamentares estão de olho no apoio do União Brasil, considerado um superpartido com um orçamento de cerca de R$ 1 bilhão.

Uma coisa é clara, desde a semana passada está sendo ventilada nos bastidores uma tentativa de minar a relação entre Kátia e Wanderlei. O que os aliados estão esquecendo é que a aliança entre os dois não é insignificante para o governador.

Ainda que, por enquanto, não representem o maior número de eleitores, Kátia traz consigo toda a expertise política que adquiriu ao longo de sua carreira. Além disso, sua aliança com a família de Vicente Alves lhe deu direito a um espólio.

Estima-se que os Abreu e os Vicentes têm juntos 85 prefeitos aliados. O que o palácio analisa é se vale a pena abrir mão desse ganho político.

Muitos temem que Kátia e Irajá optem pela disputa ao Palácio Araguaia, abrindo mão de uma das vagas ao senado. Uma coisa é certa, a parlamentar e sua equipe política está embasada em pesquisas e todos os cenários estão sob análise, inclusive o da possível candidatura de Irajá ao Governo do Tocantins.

Cada passo de Wanderlei Barbosa deve ser analisado com cuidado. Porque as estatísticas mostram que de todos os ocupantes de mandatos tampão, apenas Mauro Carlesse conseguiu se reeleger.

Uma coisa é certa, as chapas não estão formadas e muita coisa pode acontecer até a definição final.

20/04/22 07:02 | Atualizado em: 20/04/22 08:58

POLÍTICA

Com mais acertos que erros, Wanderlei completa seis meses de gestão





Wanderlei completa nesta quarta-feira, 20, seis meses de governo acumulando mais acertos que erros. Suas decisões devem lhe render importantes dividendos políticos.

O gestor assumiu o governo no dia 20 de outubro, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) afastou o então mandatário, Mauro Carlesse.

Wanderlei entrou, manteve o ritmo da gestão, garantiu a segurança das instituições e com isso fomentou os investimentos.

Montou um primeiro escalão com perfil técnico e político e vem conduzindo o estado de forma simples, respeitando os outros poderes e valorizando as lideranças do interior.

Com grande experiência no parlamento, Wanderlei, que começou sua carreira como vereador, não tem tido dificuldade para desenvolver uma gestão municipalista e por onde passa angaria apoiadores e já explora toda a sua tocantinidade, característica essa que deve ser explorada em sua campanha a reeleição.

Na gestão, ele não tem feito movimento brusco. Tem buscado dar continuidade a projetos pré-existentes e investir em problemas que afetam diretamente a população.
Um dos seus principais problemas, criticado por aliado e adversário, é a situação da malha viária tocantinense, que piorou com a saída de Carlesse. Wanderlei arregaçou as mangas e determinou um esforço coletivo para solução dessas demandas, com início dos trabalhos ainda em período chuvoso.

Ele também embaralhou-se na tentativa de acertar ao reajustar os salários dos servidores, o que, segundo especialistas,  pode ter desdobramentos importantes para as finanças do estado.
Mas no geral, tem mantido os investimentos em infraestrutura, a qualidade dos serviços públicos e a segurança jurídica e política do estado.

O chefe do poder executivo tem expertise política e em outubro virá com uma chapa competitiva em busca da reeleição.