De olho na política

Por Erica Lima

Coluna

24/01/22 08:19 | Atualizado em: 24/01/22 08:19

POLÍTICA

Alvo de campanha nas redes sociais, Eduardo Gomes deve se encontrar com Bolsonaro esta semana





Um reportagem do portal Valor Econômico sobre a agenda política da semana do presidente Jair Bolsonaro, diz que o senador tocantinense Eduardo Gomes (MDB-TO), que é líder do Governo no Congresso Nacional, está sendo esperado pelo gestor essa semana com o objetivo de traçar a estratégia governista para o ano no Parlamento.

Deputados e senadores ainda estão de recesso, que acaba em 1º de fevereiro.

No Tocantins, Eduardo Gomes é alvo de uma campanha intitulada “Queremos Eduardo Gomes governador do Tocantins”. O card da campanha circulou de forma maciça esse final de semana em grupos de Whatsapp.

A decisão sobre uma possível candidatura, segundo aliados, deve ficar para março.









 

20/01/22 08:59 | Atualizado em: 20/01/22 08:59

POLÍTICA

Deputada Dorinha se fortalece e pode ser o nome de Moro ao senado no Tocantins

Cautelosa, por onde passa Dorinha pede prudência.





Os último 10 dias do mês de janeiro chegaram e trouxeram consigo o fortalecimento do nome da deputada federal Dorinha Seabra (União Brasil) como pré-candidata ao Senado.

Com atuação parlamentar de excelência, sempre na defesa da educação, Dorinha é uma das parlamentares que mais destinaram recursos para o Tocantins. Estima-se que já foram mais de R$ 1 bi durante seus três mandatos.

Na Câmara, Dorinha também é destaque e em decorrência de sua atuação, foi eleita presidente da Comissão de Educação, onde tem como foco a construção de uma educação pública de qualidade.

A parlamentar, foi a única deputada federal do Tocantins a figurar na lista dos “Cabeças” do Congresso Nacional. Essa é a definição do DIAP, aqueles parlamentares — deputados e senadores, que têm destaque. A lista possui 100 nomes.

Por onde passa, a adesão ao seu nome aumenta. Dorinha tem ganhado o apoio espontâneo de líderes da Capital e do interior. Muitos a vê como favorita à vaga.
Caso a candidatura de Dorinha se consolide, ela será o nome da majoritária de um partido, apelidado de superpartido e que contará com R$ 1 bilhão do fundo eleitoral . Além disso existe a grande possibilidade de que o ex-juiz Sérgio Moro deixe o Podemos para ingressar ao União Brasil com objetivo de viabilizar a sua candidatura a Presidência da República.

Cautelosa, por onde passa Dorinha pede prudência.

Quem é Dorinha

Professora Dorinha está no seu terceiro mandato de deputada federal, sempre pelo DEM. Ela já foi vice-líder do DEM e do bloco PL- PP- PSD-Solidariedade-Avante, coordenadora da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, foi relatora da Proposta de Emenda à Constituição do Fundeb (PEC 15/15) e integrou diversas comissões permanentes e temporárias como membro titular, entre elas as comissões de Educação, de Direitos Humanos e de políticas para a primeira infância.

Formada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (UFG), ela fez especialização em alfabetização e mestrado em educação escolar brasileira. Antes de ser eleita deputada, foi conselheira do Conselho Estadual de Educação do Tocantins e presidente do Conselho de Secretários Estaduais de Educação do Brasil, entre outros cargos na área de educação.

 

19/01/22 07:27 | Atualizado em: 19/01/22 07:27

POLÍTICA

Sem partido desde 2019, Wanderlei pode aderir ao PTB

A decisão deve ficar para março, quando haverá janela partidária





O Governador Wanderlei Barbosa tem uma chuva de convites para ingressar em partidos. Sem sigla desde 2019, quando deixou o PHS, o governador em exercício está sendo sondado e acompanhado de perto.

Existia a expectativa do gestor aderir ao PDT. O convite foi feito pelo presidente Nacional, Carlos Lupi, antes do afastamento de Carlesse. A expectativa era de que o vice-governador, ainda fora do exercício da gestão do Tocantins, assinasse a sua ficha de filiação em novembro de 2021, porém os planos mudaram.

Muito próximo a Kátia Abreu, Wanderlei já foi convidado para ingressar no PP, partido da senadora, mas aliados acreditam que existe uma forte possibilidade de que ele aceite o convite feito pelo empresário Alex Kawano e ingresse no PTB.

A decisão deve ficar para março, quando haverá janela partidária e quando alguns parlamentares devem acompanha-lo na decisão.
  

11/01/22 08:14 | Atualizado em: 11/01/22 08:14

POLÍTICA

Siqueira ou Ogari? Se Eduardo Gomes deixar Senado, quem assume o posto?






2022 começou com especulação. Uma delas seria que o senador Eduardo Gomes (MDB) deve lançar, em março, a sua candidatura ao Palácio Araguaia.

Uma coisa é certa, caso o parlamentar se afaste do senado, duas pessoas ficam a linha sucessória ao posto.

O primeiro é Siqueira Campos, criador do Tocantins, ex-governador e primeiro suplente de Gomes.

Siqueira tem 93 anos está com a saúde fragilizada e pouco tem se envolvido em questões políticas. Recentemente realizou duas aparições importantes: filiou-se ao PL, após convite do presidente regional Vicentinho Alves, e apareceu em um vídeo elogiando o trabalho do governador em exercício, Wanderlei Barbosa.

Já o segundo suplente é um dos principais empresários do ramo de medicamentos da América Latina. Trata-se de Ogari Pacheco de 83 anos e considerado um dos 100 mais influentes em saúde da década.

Pacheco é empresário, fundou a farmacêutica Crisália e, por mais que tenha destaque em sua atuação político-empresarial, tem pouca ligação com o Tocantins.

Em 2018, o portal de notícias UOL noticiou que Pacheco era o terceiro candidato mais rico a concorrer na eleição daquele ano com patrimônio estimado em mais de R$ 497 milhões. Segundo o portal El País, Pacheco, e mais sete executivos do laboratório Cristália, investiram R$ 2,1 milhões na candidatura de Gomes, o que representa 87% do total arrecadado pela campanha.

Caso as especulações se confirmem e a vaga no senador ficar aberta, tanto Siqueira quanto Ogari poderão assumir, em definitivo, o posto de Gomes.

05/01/22 19:11 | Atualizado em: 05/01/22 19:11

POLÍTICA

Colunista de O Globo diz que aproximação de Kátia e Wanderlei beneficiou produtores de carne






O colunista Lauro Jardim, do portal O Globo, trouxe a informação de que o restabelecimento de incentivos fiscais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) provenientes do programa ‘Pró-Indústria’ para os frigoríficos e produtores de carne no Tocantins, realizado pelo governador em exercício Wanderlei Barbosa no mês de dezembro, foram formalizados após a aproximação do gestor com a senadora Kátia Abreu.

Jardim lembrou que os benefícios haviam sido revogados pelo governador afastado Mauro Carlesse e o retorno desse incentivo passou a ser bandeira de Kátia desde então.

Segundo o texto, o afastamento de Carlesse e a aproximação de Kátia e Barbosa, ressaltou a força da senadora no cenário político do estado.


31/12/21 10:42 | Atualizado em: 31/12/21 11:26

POLÍTICA

Retrospectiva Política: Wanderlei sai de segregado para aclamado

O 2021 político teve reviravoltas surpreendentes e o ano fecha com Wanderlei Barbosa, que antes era um vice-governador esquecido, consagrado como a






2021 foi o ano inusitado. Teve características interessantes que vão além dos transtornos gerados pela pandemia da Covid-19.

O 2021 político teve reviravoltas surpreendentes e o ano fecha com Wanderlei Barbosa, que antes era um vice-governador esquecido, consagrado como a mais importante figura política do estado na atualidade.

O ano começou com o governador, ainda no cargo, Mauro Carlesse, fazendo o que fazia de melhor: “Show”.

O primeiro evento de importância política foi a chegada da vacina ao Tocantins ainda em Janeiro. Carlesse foi a São Paulo receber, pessoalmente, as primeiras doses da Coronavac que chegariam ao Estado. As 44 mil doses chegaram em um avião da Polícia Federal e quando desembarcaram no aeroporto já eram aguardadas pelo efetivo da segurança pública que tinha a missão de levar os imunizantes até o evento público, organizado para que Carlesse pudesse ser o responsável pela aplicação da primeira dose no estado. Um evento que gerou aglomeração em um momento delicado para a saúde.

Em fevereiro, Carlesse dá o ponta pé inicial para o programa batizado inicialmente como Governo Municipalista e posteriormente rebatizado de “Tocando em Frente”. O gestor autoriza a licitação para as primeiras obras de infraestrutura nos municípios e inicia o trabalho de marketing que tinha como objetivo melhorar o índice de avaliação do governo focado nas eleições de 2022.

Em março, no ápice da segunda onda da Covid-19 no estado, Carlesse que sempre atuou de maneira comedida no combate a pandemia, tomou uma das decisões mais importantes: instituiu o trabalho remoto por 15 dias e voltou a adiar o retorno das aulas presenciais.

Em abril o Tocantins começa a ter seus primeiros pré-candidatos ao Governo. Laurez Moreira, mesmo sem anuência do partido, se autodeclara candidato, assim como Paulo Mourão, do PT, e Ronaldo Dimas, do Podemos.

Em maio, alguns membros do primeiro escalão já começam a se movimentar na preparação pelas vagas no legislativo. Jaime Café, da Agricultura, e Juliana Passarin, da Infraestrutura estavam cotados para o parlamento estadual. Já, Adriana Aguiar, da Educação, era favorita para a Câmara Federal.

Em junho, o distanciamento do governador Carlesse e do vice-governador Wanderlei Barbosa começou a ficar claro. Recorrentes “falhas” do cerimonial começaram a acontecer e Barbosa, mesmo presente, por diversas vezes foi excluído do roteiro, o que valeu reclamação pública, por parte do vice, durante lançamento de obra no Jalapão. Além disso, Carlesse começou a falar que não tinha intenção de disputar a eleição no ano que vem.

Após a possibilidade de Carlesse não disputar a eleição, o Palácio começou a estudar nomes que teriam o apoio na disputa pelo Governo. Wanderlei, que deveria ser o substituto perfeito, mais uma vez foi descartado. A conversa era uma só: “Carlesse vai optar por um perfil técnico”.

Em julho, dentre os perfis técnicos, aparentemente, o Palácio optou pelo então secretário da Fazenda Sandro Armando. O gestor começou a aparecer mais, a ter voz nos eventos e a ser presença política obrigatória ao lado do governador. Na cabeça do grupo governista, Sandro Armando, era o candidato perfeito.

Em Agosto, Carlesse volta a se mostrar distante da bancada federal. Sem saber fazer política e sem se importar com os deputados federais e senadores, Carlesse lança o Tocando em Frente com a promessa de R$ 3 bilhões em investimentos em infraestrutura. Enquanto isso, os parlamentares iniciam o processo de investimento direto nos municípios por meio de emendas e através de empresas como a Codevasf.

Em setembro, Carlesse volta a afrontar seu parceiro Wanderlei Barbosa lançando uma tese considerada esdruxula pelo meio jurídico de que teria o direito a reeleição, pois, segundo ele, o mandato tampão de 2018, não poderia ser considerado mandato. Nasce então o Carlesse candidato, que visitava os municípios em grandes eventos organizados em meio a pandemia.

Em outubro, Carlesse faz o seu último evento público antes de ser afastado. Em Talismã, reuniu 22 prefeitos para assinatura das primeiros ordens de serviço do Tocando em Frente. Durante esse evento, a força do senador Eduardo Gomes começou a ser medida pelo Araguaia. Todos os prefeitos, sem exceção, elogiaram o empenho do parlamentar em destinar recursos aos municípios. O nome de Eduardo prevaleceu em meio ao evento organizado para Carlesse.

No final do mês o estado é surpreendido com o afastamento de Carlesse e a ascensão de Wanderlei. Ainda tímido com a situação, o vice-governador, agora em exercício na função de gestor, iniciou seu período a frente do Palácio anunciando que daria continuidade aos trabalhos e manteria todo o primeiro escalão. Porém a debandada foi geral. As primeiras a pedirem demissão foram Adriana Aguiar e Juliana Passarin.

Posteriormente, a maioria deixou os cargos a disposição e Wanderlei anunciou o rompimento político definitivo com Carlesse e começou a imprimir a sua marca no Governo.

Wanderlei é tocantinense, político e tem facilidade em articular. Em novembro ele mostrou determinação, manteve o que estava funcionando e desistiu de projetos polêmicos, como é o caso da privatização do Jalapão.

Ele também reaproximou o governo da bancada federal e tem buscado o apoio de todas as esferas para a sua gestão.

Humilde, tem agradado os prefeitos por seu jeito acessível e pela sua atuação política , porém, sem esquecer da parte técnica.

Wanderlei, um político da terra, que conhece o povo, mas que sempre trabalhou como parlamentar, terá a oportunidade de fazer diferente, pois o Tocantins não aguenta mais viver sob a sombra da corrupção e dos constantes afastamentos de gestores que não tiveram a responsabilidade com o patrimônio público.



2022 será o ano de consagração definitiva de Wanderlei como gestor.





21/12/21 09:59 | Atualizado em: 21/12/21 09:59

COMO FICARÁ 2022?

Laurez e Wanderlei se encontram no mesmo dia em que Dimas vai a Gurupi







Parece que a possível aliança entre o ex-prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, e o ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (Podemos), pode não se concretizar.

Esse final de semana, Dimas esteve em Gurupi, reuniu lideranças, deu entrevistas, falou de seus planos e continuou a sua pré-campanha rumo às eleições do ano que vem.

Do outro lado, Laurez, que chegou a cogitar a formação de um grupo com o governadoriável, recebeu o governador em exercício Wanderlei Barbosa, falou de política e seus planos para o ano que vem.

A repercussão política da visita aconteceu de maneira instantânea, mas Laurez nega que simbolize uma parceria com o atual governador e disse que mantem seu projeto para o ano que vem. O ex-prefeito tem se movimentado em busca e apoio e se diz pré-candidato ao Palácio Araguaia.

Uma coisa é certa, em Gurupi, Wanderlei deve ser abraçado pelo grupo de oposição a Josi Nunes, prefeita da cidade, já que ela tem fortes ligações com o governador afastado, Mauro Carlesse. No entanto, os planos de Wanderlei podem esbarrar na possibilidade de construção de uma candidatura única de oposição, o que no Tocantins pós-Siqueira Campos, seria uma novidade.
Só o tempo dirá o que vai acontecer.

14/12/21 08:45 | Atualizado em: 14/12/21 08:03

POLÍTICA

Quem matou Moisés? Família se encontra com nova cúpula da SSP





O secretário de Estado da Segurança Pública, Wlademir Costa Mota Oliveira, deve receber na manhã desta terça-feira, 14, a família do ex-prefeito de Miracema, Moi ´ses da Sercon, assassinado em 2018.

A reunião está marcada para as 11 horas e os familiares querem atenção da Secretaria para o avanço das investigações.

Entenda
Moisés – da Sercon – Costa da Silva foi encontrado morto com um ferimento de arma de fogo numa estrada vicinal, entre Miranorte e Rio dos Bois, no dia 30 de agosto de 2018.

Até agora, apenas uma pessoa foi presa por suspeita de envolvimento no crime do político, trata-se de um homem, de 51 anos, acusado de ser pistoleiro de aluguel. Ele foi preso no início do ano em São José do Xingú, no Mato Grosso.

A viúva do político, Camila Fernandes, hoje é prefeita de Miracema.

 

09/12/21 08:15 | Atualizado em: 09/12/21 08:04

POLÍTICA

Comissão do Impeachment deve ser instalada nesta quinta; Elenil é cotado para presidência e Geo para relatoria






O deputado Elenil da Penha (MDB) está sendo cotado para presidir a Comissão Especial formada para investigar as denúncias que compõem o processo de impeachment admitido esta semana na Assembleia Legislativa contra o governador afastado, Mauro Carlesse (PSL).

O deputado Júnior Geo (PROS) deverá ser o relator do processo, conforme informações que circulam nos bastidores da Assembleia.

A Comissão será instalada nesta quinta-feira, 9, às 17 horas no Plenarinho da Assembleia Legislativa. A informações foi confirmada ontem ao Portal Stylo pelo deputado Elenil.

Conforme explicou o parlamentar, a instalação da comissão está prevista no artigo 5º da Resolução nº 5/2021, da Mesa Diretora, que regulamenta o procedimento (rito) de admissibilidade de denúncia por crime de responsabilidade.

Além de Elenil e Júnior Geo, também fazem parte da comissão o deputado Eduardo do Dertins (PPS), pelo bloco PPS-Cidadania-PR-PTB-PCdoB; o deputado Olyntho Neto (PSDB), pelo bloco PSDB-PP-PTC; e o deputado Zé Roberto (PT), pelo bloco PT-PV.

A Comissão Especial do Impeachment tem como atribuições determinar a realização de diligências que entender necessárias para esclarecer a denúncia e ouvir testemunhas de acusação e a defesa do governador afastado.

Estima-se que o processo de impeachment deve ter de seis a 8 meses de duração.




 

03/12/21 08:07 | Atualizado em: 03/12/21 08:25

POLÍTICA

Dimas e Eduardo Gomes formam aliança forte para 2022






E nos bastidores a suposta aproximação de dois governadoriáveis, Ronaldo Dimas e Eduardo Gomes, tem incentivado “tititis”.

Fontes ligadas ao Portal Stylo garantem que essa aproximação é permanente e visa uma aliança forte para as eleições do ano que vem.

As condições, segundo pessoas ligadas a Dimas, são claras: “O que aparecer melhor posicionado nas pesquisas, irá disputar a vaga  do Palácio Araguaia”.

Isso pode significar um recuo de Dimas e a possibilidade de que ele enfrente a disputa pela única cadeira do Senado.

Já Gomes, foi apontado pelo presidente Jair Bolsonaro como o candidato que terá o seu apoio no ano que vem na disputa pelo Governo do Estado e isso fortalece ainda mais as chances do senador enfrentar a disputa pela cadeira no executivo.

Enquanto o cenário não clareia, Dimas, que não tem mandato e ostenta um brilhante trabalho a frente da prefeitura de Araguaína, continua a sua pré-campanha fazendo andanças no interior e fortalecendo vínculos com lideranças.

Gomes, que é famoso por seu poder de articulação, tem trabalhado suas emendas com foco na melhoria da infraestrutura dos municípios e isso tem conquistado os gestores municipais.

2022 ainda nem chegou, mas Dimas e Eduardo Gomes já são visto como uma chapa quase imbatível nas eleições do ano que vem.

28/11/21 15:36 | Atualizado em: 28/11/21 15:15

POLÍTICA

Em meio a um semana política conturbada, Carlesse pode ser o segundo governador a sofrer impeachment na história da República





Demorou, mas o dia chegou!

Um secretário particular do governador afastado Mauro Carlesse esteve no Palácio Araguaia retirando seus pertences pessoais.

Fontes contam que a representante do gestor levou quadros, fotos, utensílios, certificados e imagens religiosas.

“As portas estavam abertas, diferente do dia posterior ao afastamento de Carlesse, quando Wanderlei achou o gabinete fechado e teve dificuldades de ter acessos as chaves”, disse a fonte ao PORTAL STYLO.

A semana também foi marcada pelo pedido de impeachment do gestor. O primeiro, de muitos, ao que parece, foi de iniciativa individual do advogado Paulo Roberto Silva, que é procurador de prerrogativas criminais e concorre a vaga de desembargador.

O advogado também provocou a OAB a entrar no debate. A instituição ainda não se manifestou, mas especialistas acreditam em outro pedido vindo de lá.

O deputado Júnior Geo (PROS) também protocolizou o pedido na Assembleia Legislativa, mas o assunto deve ser apreciado pela presidência antes de ir ao plenário.

A defesa de Carlesse ainda não questionou o afastamento. O motivo seria a falta de acesso ao processo, que corre em sigilo. O grupo de advogados torce pela quebra do sigilo.

Enquanto isso, Wanderlei faz ajustes. Exonerou quase todos os servidores do gabinete, dentre eles Aldenora Costa e Viviane Fragoso, as principais administradoras do funcionamento do local e figuras muito ligadas a Carlesse.

Wanderlei ainda não conseguiu ajustar os programas. Pastas estratégicas como Educação, Ageto e Infraestrutura ainda não foram ajustadas.

As três eram detentoras do projeto “Tocando em Frente”, idealizado por Carlesse e que tinha a previsão de R$ 3 bilhões em investimentos.

A educação ainda está sem gestor definitivo. A Ageto possui um gestor perdido, que ainda não percebeu a importância da autarquia, que concentra 90% dos recursos para investimentos em Infraestrutura , e que está frustrado com a crise da malha viária estadual.

Já a Seinf ganhou Jairo
Mariano, um gestor audacioso, competente e que possui no currículos diversos cases de muito sucesso. Porém a pasta não tem recursos e serve apenas de interveniente para obras de outras pastas.

O que se sabe é que Carlesse pode ser o segundo governador da história da república a ser impeachmado. Antes dele, apenas o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

24/11/21 07:08 | Atualizado em: 24/11/21 07:52

POLÍTICA

Conheça Fábio Vaz, o aliado de Ricardo AYRES nomeado para a Educação





O governador em exercício Wanderlei Barbosa nomeou o ex-prefeito de Palmeirópolis, Fábio Vaz, no posto de secretário executivo da Educação.

A nomeação já foi publicada no Diário Oficial e Fabinho, como é muito conhecido na região sul do estado, é indicação direta do deputado estadual Ricardo Ayres.

Professor efetivo da rede estadual de ensino, o ex-prefeito eleito para dois mandatos também já foi vereador em Palmeirópolis.

Fábio é o responsável por grandes melhorias estruturais na cidade de Palmeirópolis. Durante sua gestão conseguiu tirar do papel a rodovia TO-141, que liga o município até a divisa com Goiás em Minaçu, projeto iniciado por Marcelo Miranda, financiado pelo Banco Mundial e finalizado na gestão Carlesse.

O novo secretário executivo é educador licenciado em letras e expert em gestão. Sua expertise fez com que o governador em exercício confiasse a ele a missão de responder interinamente pela pasta que é uma das mais importantes do Governo.

Dentre seus desafios, Fábio Vaz tem a administração da educação em momento de pandemia. Aliados dizem que ele está preparado para a missão.   

11/11/21 08:28 | Atualizado em: 11/11/21 08:45

POLÍTICA

O pai tá voltando! Será?




Ontem, quarta-feira, 10, uma postagem feita pelo ex-secretário da Casa Civil, Rolf Vidal, deixou o Twitter alvoroçado. “Recebi a seguinte figurinha: o pai tá voltado, pode sorrir”, disse Rolf.

Será que essa mensagem subliminar seria relacionada a volta do governador afastado Mauro Carlesse ao cargo?

Aliados de Carlesse acreditam em uma semana decisiva e no retorno do gestor afastado após a contratação de uma equipe de advogados com muita influência em Brasília.

Já opositores, vivem a expectativa de que o Superior Tribunal de Justiça quebre o sigilo do processo e tornem públicas todas as informações referentes às investigações que culminaram no afastamento de Carlesse.

A divulgação do processo poderia apontar novos participantes no suposto esquema.

Os dois grupos seguem ansiosos com o desenrolar dos fatos. Enquanto isso, Wanderlei segue realizando a formação do seu quadro de auxiliares.

30/10/21 19:17 | Atualizado em: 30/10/21 19:17

APÓS "SURTO"

Em vídeo, Joseph se mostra recuperado e diz que está pronto para o trabalho





Depois de uma semana de informações controversas nos bastidores sobre um possível surto, o empresário Joseph Madeira, nomeado secretário de Governo de Wanderlei Barbosa, se manifestou pela primeira vez pelas redes sociais.

Em um vídeo, gravado na manhã da última sexta-feira, 29, Joseph diz que está curtindo e feriado e que está preparado para iniciar seu trabalho na próxima quarta-feira, 03. “Eu convido vocês, para a gente aproveite, descanse bem, para que na quarta-feira a gente volte e volte com força total”, disse.

Joseph foi assunto das principais manchetes após um episódio de um susposto surto e uma repentina visita a sede da Polícia Federal. A PF confirmou que o empresário esteve no local por conta própria, mas não divulgou o assunto tratado por ele.

O empresário é pioneiro no estado e atualmente é considerado homem forte do governo de Wanderlei Barbosa.

27/10/21 09:18 | Atualizado em: 27/10/21 09:18

POLÍTICA

Surto ou Fake News? O que aconteceu com Joseph Madeira?


Ainda na série: “O Tocantins é um eita atrás de um vixe”, a sociedade dormiu querendo curiosa após circularem na imprensa as informações de que o novo secretário de Governo de Wanderlei Barbosa estava em meio a um “Surto”.

E isso foi real?

O homem forte do Governo não teria aguentado a pressão do primeiro dia de Governo e teria surtado?

Ninguém sabe os reais motivos. Porém, informações apuradas pelo Portal Stylo dão conta de que ele passou horas na Polícia Federal. Ele teria ido de maneira voluntária, mas não se sabe o motivo.




Sem nenhum disfarce, o carro e o motorista do empresário ficaram na porta da PF, mas após especulações, foi retirado na tentativa de evitar o alarde.
Em suas redes sociais, a assessoria confirmou o suposto surto, que foi chamado por eles de “mal estar”. “Em relação às informações que estão circulando na imprensa acerca do estado de saúde do empresário Joseph Madeira, informamos que: Joseph Madeira teve um mal estar na manhã desta terça-feira, dia 26/10, foi atendido por um médico, está medicado e descansando”.

Logo a noite, informações dão conta de que ele teria tido um novo “mal estar” e dessa vez teria sido internado em um hospital particular.

Até o final desta semana, muita coisa deve rolar na política tocantinense.

26/10/21 13:56 | Atualizado em: 26/10/21 13:56

CIDADE

EXCLUSIVO: Veja a carta de demissão de Juliana Passarin





Juliana Passarin, peça chave do programa “Tocando em Frente”, entregou seu posto na manhã desta terça-feira, 26, ao governador em exercício Wanderlei Barbosa.

Em sua carta de demissão, ela destacou o orgulho que sente em ter sido a primeira mulher a ocupar a presidência da Ageto e o posto de secretária da Infraestrutura. “Tenho muito orgulho, Sr Governador, de ter sido a primeira mulher na gestão dessas duas pastas”, disse.

Juliana também destacou seu jeito de trabalhar e frisou que durante o período que exerceu a função primou pelo trabalho exclusivamente técnico.

Juliana é administrado e contadora e assumiu as duas pastas em 2019.