Publicidade

COMPORTAMENTO

Por Lunna Dias Psicóloga e Coach

Coluna

29/11/19 15:10 | Atualizado em: 29/11/19 15:10

COMPORTAMENTO




Vem 2020!

E vem chegando mais um final de ano e junto com ele festas de confraternização, mensagens de reflexão, coisas que precisamos terminar e mil promessas de ano novo/vida nova. Com certeza ou você se encontra no time dos que estão muito felizes com essa passagem ou se encontra no time dos que sentem uma pontinha de tristeza com esse momento. Se está feliz é porque 2019 foi um ano legal para você e está cheio de expectativas que as coisas só melhorem. Se está um pouco triste é porquê, provavelmente, não planejou nada ou nada de muito diferente aconteceu neste ano e a sua vida continua na “mesma” de anos anteriores.
 O grande problema é que esperamos uma mudança externa para que o ano (ou até a vida) seja feliz e satisfatório e o fato é que a solução está mais perto do que pensamos: está dentro de nós! Depende somente da nossa atitute e nada mais. E depois que você aprende esse “método” a vida fica muito mais satisfatória de se viver. Gosto muito dessa oração: “Senhor, conceda-me a serenidade para aceitar aquilo que não posso mudar, a coragem para mudar o que me for possível e a sabedoria para saber discernir entre as duas.” Em resumo, é claramente: mude o que não te agrada e aceite o que você não pode mudar.
E agora falo para você que tem 10, 30, 50 ou até 90 anos de idade e está lendo esse artigo. Isso mesmo! Um 2019 meio sem graça não quer dizer que todos os próximos anos serão: SÓ DEPENDE DE VOCÊ! E não importa a sua idade ou a sua posição neste momento. Vai ser fácil? Não! Mas viver anos sem graça se repetindo também não será fácil. Então vamos começar agora? Vem comigo.
(pegue um caderninho e anote):

1. Erros: Quais foram os erros que você cometeu em 2019? Aqueles que te deixaram preocupado, sem sono e angustiado? Quais foram os comportamentos ou o que você fez para que eles acontecessem? (Eu falei que não ia ser fácil e nem adianta me dizer que não errou em nada, Sr. Perfeitão, foi com carinho❤️). Sabe aquela compra que você não precisava fazer, fez e acabou se endividando? Sabe aquele relacionamento que você sabia que não deveria continuar, mas continuou? Sabendo os caminhos que dão merda*, para que ir por esses mesmos caminhos e passar por essa merda de novo?
2. Experiências de pico: O que foi que você fez esse ano que foi incrível e sensacional? Sabe aquele dia que foi tão bom que só de lembrar você sorri? Aquele dia inteirinho com a família e amigos só jogando conversa fora? Aquela apresentação no trabalho que foi tão esperada e te rendeu uma promoção? Aquele cliente que você sonhava conquistar? Sabendo os caminhos que trazem o sucesso, por que não repetir esses mesmos caminhos afim de ter novas experiências como essas?

3. Coisas para mudar: Não tem problema nenhum se cansar de algumas coisas e querer outras, faz parte da vida. Às vezes aquele emprego já não traz mais as alegrias de antes ou até mesmo perdeu um pouco o sentido. Não espere ficar pior, planeje a mudança agora mesmo. Faça um passo a passo do que precisa ser feito.

Imagina que sensacional: não cometer mais os mesmos erros, repetir aquelas experiências que te fazem sorrir e, ainda, mudar coisas que não fazem mais sentido? Fiz esse exercício no final de 2018 e posso te garantir que estou terminando meu 2019 explodindo de felicidade por ver tudo que planejei ter dado tão certo. Experimente você também!

Você é o único responsável pelo seu destino! O que está fazendo para que ele seja incrível?
Agora sim! Vem 2020! 

22/11/19 16:10 | Atualizado em: 22/11/19 16:10

COMPORTAMENTO

Como ter conversas difíceis?


Para começar vamos definir o que é uma conversa difícil: É aquela que você passa muito tempo pensando, planejando e, às vezes, perde até o sono na expectativa de como falar e de como o outro vai reagir.

 Qual o momento certo de ter essa conversa? Se é algo que aconteceu e precisa ser resolvido logo, não resolva próximo ao evento, pois provavelmente você (e a outra pessoa) estarão carregados de emoção. O prazo é dentro das 24 horas do ocorrido, pois se passar muito tempo pode perder o sentido da conversa.

 Agora se você pode planejar o passo a passo da sua conversa e todas as possíveis respostas do outro, então as chances de sucesso são muito maiores. Pense nos prós e contras do que você vai falar e, principalmente, qual seu objetivo com esta conversa? Após a conversa, o que você pretende que o outro faça ou o que exatamente aconteça? Se você não souber o que quer como o outro vai saber? Ou como você vai ter certeza que a conversa deu certo?

 Durante o planejamento e até mesmo na conversa lembre-se que você está em missão de paz (o homem quando está em paz não quer guerra com ninguém). Além disso, se há alguém que vai ser sensato nessa conversa esse alguém é você! O outro talvez não tenha lido esse passo a passo, não é mesmo?
Evite afirmações durante a conversa, principalmente de coisas que você SÓ supõe. Faça perguntas abertas: aquelas onde a reposta não pode ser sim e nem não. O ideal é que o outro pense nas razões e fale com suas próprias palavras. De acordo com as respostas, você vai amarrando com os fatos que você trouxe (PRESTE ATENÇÃO: FATOS! Nada de sentimentos, impressões, percepções e NUNCA JAMAIS traga a fala de um terceiro para a conversa).

Bom, chegou a vez do outro falar e você vai ouvir. Se nessa primeira rodada vocês se acertarem, encerre com “Então, o que você entendeu da nossa conversa?” Isso será como um resumo e a reafirmação de que ele realmente compreendeu seu objetivo.

Finalizo dizendo que preparação nunca é demais e que o outro sempre pode te surpreender. Ainda assim, a preparação vai te ajudar a se sentir mais seguro e confiante e o melhor, aumenta suas chances de sucesso.

Sucesso a todos.
Dúvidas e sugestões lunnadias@smartgroubrasil.com
Lunna Dias, Psicóloga, Coach, com MBA em Gestão de Pessoas, Especialização em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas. Além de formações como Analista DISC, Cargos e Salários, Inner Game, Gestão de equipes de Alta Performance e Certificação Internacional para transformar Educação em Resultados para o negócio.

Empreendedora com a Smart Group Brasil - Escola de Desenvolvimento Profissional. Já escrevi 1 livro (Manual da (des) conduta: histórias e ideias para se destacar na seleção profissional), 1 Pitchbook e 4 e-books sobre carreira, liderança, atendimento e vendas. Atualmente sou aspirante a youtuber com o canal Lunna Dias Mais.

Tenho 13 anos de experiência atendendo empresas no Tocantins, Goiás e Pará com Treinamento e Desenvolvimento de pessoas, Educação Corporativa, além de alinhamento de processos de Recursos Humanos.


 

13/11/19 10:19 | Atualizado em: 14/11/19 10:16

COMPORTAMENTO

Por que algumas pessoas têm tanto medo de falar em público?


Uma pesquisa do Sunday Times de 2015 mostrou que a maioria das pessoas pesquisadas têm mais medo de falar em público do que medo de problemas financeiros e até medo da morte (https://exame.abril.com.br/negocios/dino/falar-em-publico-medo-atinge-mais-pessoas-do-que-se-pensa-shtml/).

 Mas de onde vem tanto medo? Tudo começa com um pensamento do tipo “Isso é muito difícil”, “Não tenho o dom”, “Tenho medo de passar vergonha”. Esse pensamento torna-se então uma crença limitante que gera um sentimento de medo, evitação, pavor, etc. O comportamento decorrente deste sentimento é não se expor em público, evitar momentos em que isso seja necessário. O resultado é a perda de oportunidades e o próprio desenvolvimento como profissional é afetado. Ou seja, essa crença limitante gera resultados totalmente insatisfatórios na vida de quem os tem. E o detalhe, esse resultado é baseado em algo completamente fora da realidade.

As crenças limitantes geralmente são criadas pelo Self 1 (uma conversa interna) que julgador e crítico nos faz acreditar que não somos realmente capazes ou ainda não estamos prontos o suficiente para agir. A atuação do Self 2 possibilita um agir de modo mais natural totalmente pautado nos talentos e “relax”. Imagina a imagem do diabinho e do anjinho, funciona mais ou menos assim na nossa cabeça.

Para derrubar essas crenças limitantes você precisa contestá-las e se capacitar. Contestar quer dizer não aceitar como verdadeiras argumentando com fatos contrários e, após esse exercício, se capacitar com o que você tem de melhor para fazer essa comunicação dar certo. Entenda, que independente de que situação você esteja, você já tem o que é necessário para se comunicar (comunicação, talento, algum conteúdo que você domina, etc).

Com o medo “curado” agora é partir para o treino! Sim! Não acaba aí. Os melhores comunicadores estão sempre aprimorando as técnicas de oratória para se comunicar cada vez melhor. Foco na linguagem corporal, no tom de voz, no ritmo. Faça roteiro do conteúdo que pretende falar e só improvise em último caso.
A abertura precisa envolver o público, pois nos primeiros 7 segundos as pessoas decidirão se darão atenção ou não ao restante da apresentação. Tenha um objetivo na sua fala com começo, meio e fim. Conte histórias (storytelling), pois não há nada que conecte mais nesse mundo. E treine, treine, treine…
Já ouviu falar em Elevador Pitch? É um discurso de elevador, dura o tempo que o elevador estiver em movimento (algo em torno de 30s a 2min). Se você encontrar alguém capaz de mudar a sua vida profissional, o que falaria a ela para que ela se mantenha interessada em continuar a conversa com você após o elevador parar?
Deixo como reflexão a frase de Warren Buffet “A boa capacidade de falar público aumenta o seu capital humano em 50%”.


Sucesso a todos.
Dúvidas e sugestões lunnadias@smartgroubrasil.com
Lunna Dias, Psicóloga, Coach, com MBA em Gestão de Pessoas, Especialização em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas. Além de formações como Analista DISC, Cargos e Salários, Inner Game, Gestão de equipes de Alta Performance e Certificação Internacional para transformar Educação em Resultados para o negócio.

Empreendedora com a Smart Group Brasil - Escola de Desenvolvimento Profissional. Já escrevi 1 livro (Manual da (des) conduta: histórias e ideias para se destacar na seleção profissional), 1 Pitchbook e 4 e-books sobre carreira, liderança, atendimento e vendas. Atualmente sou aspirante a youtuber com o canal Lunna Dias Mais.

Tenho 13 anos de experiência atendendo empresas no Tocantins, Goiás e Pará com Treinamento e Desenvolvimento de pessoas, Educação Corporativa, além de alinhamento de processos de Recursos Humanos.