Publicidade
Publicidade

POLÍTICA

Kátia espera que delação de Rossini derrube Marcelo Miranda

06/12/17 16:17 | Atualizado em: 06/12/17 16:17




A Senadora Kátia Abreu (Sem partido) usou o Twitter para dizer que não acredita que o fim da corrupção virá pela interferência da União, e sim dos estados.
Em uma de suas postagens ela chegou a declarar que irá “interromper o ciclo de corrupção sistêmica no governo”.

A senadora, que foi expulsa do PMDB, é pré-candidata declarada ao Governo do Tocantins e está tentando viabilizar uma candidatura sólida e com alianças coesas. Por enquanto, ela tem conversado com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), e com o de Gurupi, Laurez Moreira (PSDB). A parlamentar também intensificou a sua agenda no interior do estado e tem angariado apoios importantes nas cidades por onde passa.

Kátia ainda está buscando um partido para chamar de seu. O perfil desagregador da senadora tem distanciado algumas siglas. Nos bastidores corre a informações de que o Podemos já teria formalizado um convite para a parlamentar, mas ela estaria de olho em uma vaga no PDT de Ângelo Agnolin.

Kátia tem falado que só irá decidir seu rumo após o carnaval, mas muitos acreditam que, por hora, ela estaria focada em derrubar Marcelo Miranda (PMDB) do Governo. Diversas vezes a senadora declarou sua convicção de que o atual governador do Tocantins estará inelegível nas próximas eleições.

 A parlamentar não explica os motivos e nem a que processo ela se refere, mas nas rodas de conversa existentes em uma tradicional panificadora palmense circula a informação de que Kátia espera a divulgação do conteúdo da delação do empreiteiro Rossini Aires Guimarães, dono da construtora Rio Tocantins.

O depoimento do empreiteiro seria parte integrante do inquérito da Operação Convergência, que trata da união da Operação Ápia e da Operação Reis do Gado, realizadas pela Polícia Federal. O depoimento durou 14 horas e o empreiteiro teria citado diversos políticos com foro privilegiado. Esse depoimento ainda aguarda homologação do STF.

Muitos acreditam que Rossini, que foi alvo nas duas operações, teria envolvido o governador em um esquema de fraude de licitação gigantesco. Essa é a pá de cal que Kátia espera para enterrar a carreira política de Marcelo Miranda.

Vamos aguardar os próximos capítulos.