Publicidade
Publicidade

ESTADO

Servidores de Fátima estão sem salários após Banco do Brasil fechar agência na cidade

07/12/17 09:48 | Atualizado em: 07/12/17 09:48

O pagamento dos servidores municipais de Fátima foi liberado no último dia 30 de novembro, cumprindo a proposta do Município de priorizar o pagamento em dia do funcionalismo. Apesar do depósito da Prefeitura, diante da ingerência do Banco do Brasil em relação às contas dos servidores, o pagamento ainda não pôde ser efetivado.

Após o fechamento da agência de Fátima, no mês de novembro, as contas foram transferidas pela instituição financeira, sem qualquer consulta aos servidores, para a cidade de Paraíso, e estão como inativas até a data de hoje, quarta-feira, 6, devido ao problema burocrático gerado unilateralmente pelo Banco do Brasil, foi inviabilizado até o momento a liberação dos valores nas contas dos funcionários.

O prefeito municipal, Washington Vasconcelos e sua equipe já estiveram inúmeras vezes na gerência do Banco do Brasil em Paraíso tentando resolver a questão, mas, não obteve sucesso, mesmo diante das argumentações de que a situação prejudica mais de 280 servidores e suas famílias.

O último prazo informado pelos funcionários do Banco do Brasil para resolver a questão foi a tarde desta quarta, 6. O Município aguardará esse prazo, porém caso não seja resolvido buscará as medidas cabíveis em esferas superiores, inclusive medidas judiciais.

"Não conseguimos entender como em uma época que tudo é feito por meio de sistemas ágeis, uma instituição como o Banco do Brasil não resolver uma questão desta forma. Emperrar o pagamento e prejudicar tantas pessoas é uma irresponsabilidade", lamenta o prefeito.

Entenda

A Agência do Banco do Brasil foi fechada no dia 20 de novembro, mesmo após a Prefeitura e os próprios moradores se mobilizarem pedindo a manutenção do banco na cidade, já que o fechamento prejudicaria a economia local, inclusive o pagamento dos servidores.

Além de Fátima, utilizam os serviços os moradores das cidades vizinhas Santa Rita, Oliveira de Fátima e Rosalândia.