Saúde

Prestadores de serviço do Plansaúde devem normalizar atendimentos até finalização do contrato com Unimed Centro Oeste

Segundo presidente do Sindessto, Maria Lúcia, secretário da Administração garantiu que vai pagar as referências atrasadas esta semana

12/01/18 15:24 | Atualizado em: 12/01/18 15:24

Segundo a presidente do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos (Sindessto), Maria Lúcia Machado, os prestadores de serviço do Plansaúde, deverão permanecer atendendo regularmente os usuários do Plansaúde, pelo menos, até o fim do mês, que é quando o contrato com a Unimed Centro Oeste, que gerencia o plano, será finalizado definitivamente.

Nesta quinta-feira, 12, o governo estadual prorrogou o contrato com a atual operadora do plano até o próximo dia 31 de janeiro para evitar a interrupção do atendimento.

O objetivo do governo com a prorrogação foi a necessidade de concluir trâmites administrativos no processo licitatório para contratação de uma nova empresa que vai ajudar o Estado na operacionalizar do Plansaúde.

“A Comissão Permanente de Licitação ainda não concluiu a análise dos recursos e solicitou oficialmente uma manifestação da Secretaria de Estado da Administração [Secad] e da Procuradoria Geral do Estado [PGE]. Com isso, o prazo para conclusão deve alongar o processo licitatório em até 15 dias”, explicou o secretário da Administração Geferson Barros.

De acordo com a presidente do Sindessto, os prestadores estavam muito inseguros com a finalização do contrato com a Unimed Centro Oeste, já que, desta maneira, os hospitais e clínicas não teriam a quem recorrer em caso de atraso no pagamento.

"Quando o secretário nos ligou isso nos tranquilizou um pouco, porque nossa preocupação maior é que nós não temos contrato, não sabemos que iria liberar o atendimento. Como é que nós, posteriormente, iríamos receber?", pontuou.

Maria Lúcia também disse que o secretário teria garantido que pagaria as referências que estão em atraso ainda esta semana.