Eleições 2018

Pelo Twitter, Amastha volta a afirmar que articulações para eleições de outubro continuam

11/07/18 17:08 | Atualizado em: 11/07/18 17:23

As eleições suplementares mal terminaram, e as lideranças tocantinenses já estão se preparando para o pleito de outubro.

Após os rumores de que a senadora Kátia Abreu (PDT) não deve se candidatar ao governo estadual por falta de apoio em manter uma coalizão que possa bater o governador Mauro Carlesse (PHS), o ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB) que ficou em terceiro lugar na disputa de votos, segue no caminho inverso e afirmou que continua articulando para outubro.

"Bom dia Tocantins. As articulações continuam. Fora a quantidade de especulações em torno do projeto mantemos duas certezas..1-Está na hora de se falar menos de política e mais de gestão .2-Vamos reunir os melhores para virar essa página da história", postou em uma rede social.

A impresa tocantinense dá certo de que Amastha tem o apoio do MDB, partido do ex-governador Marcelo Miranda. O ex-prefeito também teria fechado o apoio do senador Vicentinho Alves e seu partido, o PR.  

Na última sexta-feira, 06, líderes 13 partidos políticos (PR, PV, PMB, PDT, PSD, Patriota, PSC, Avante, PSB, PC do B, Podemos, PTB E Rede), incluindo Amastha, Marlon Reis (Rede) e Osires Damaso participaram de umareunião organizada por Kátia.

No encontro, os líderes dos partidos convidados fizeram a análise da conjuntura político, econômica e social do Estado e discutiram a constituição de uma frente de defesa do Estado do Tocantins, e de mobilização, que estimule a participação de todos os eleitores tocantinenses para as eleições de 7 de outubro, com um projeto estruturante de desenvolvimento sustentável e de combate à pobreza.