ADAPEC

Adapec promove mudanças na vacinação contra brucelose que beneficiam o produtor rural

11/10/18 14:56 | Atualizado em: 11/10/18 14:56

Fabíola Dias/Governo do tocantins
Com o objetivo de erradicar a brucelose no Tocantins, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) anuncia mudanças no processo de vacinação contra a zoonose que além de garantir a sanidade do rebanho irá facilitar a vida dos produtores rurais. Uma das principais mudanças já em vigor é a utilização da vacina Cepa RB51 para as bezerras bovinas de 3 a 8 meses. Antes, as bovinas nesta faixa etária só poderiam vacinar com a vacina Cepa B19.

Segundo o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, a decisão da Agência de autorizar os produtores rurais a vacinarem as bezerras bovinas entre 3 e 8 meses com a vacina Cepa RB51, foi para readequar às novas exigências contidas na Instrução Normativa nº 10/2017, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para facilitar assim, o acesso dos produtores rurais aos dois tipos de vacina.

Vale ressaltar que, conforme a legislação, é proibida a vacinação com a Cepa RB51 nas fêmeas bubalinas em qualquer faixa etária.

Outra mudança importante no sistema de vacinação contra brucelose diz respeito à autorização para aquisição de vacina. Antes, o produtor que perdia o prazo de vacinação deveria ir até a Adapec solicitar uma autorização para comprar a vacina. A partir de agora, o produtor precisa apenas do receituário médico emitido por um médico veterinário cadastrado na Adapec. “Com o receituário em mãos, o produtor pode se dirigir uma loja agropecuária e adquirir qualquer uma das vacinas”, disse a responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT), Carolina Silveira.

A vacinação contra a brucelose no Estado continua sendo em duas etapas e o produtor é obrigado a apresentar semestralmente a declaração de vacinação das bovídeas. A primeira etapa encerra no dia 30 de junho, com prazo até o dia 10 de julho, para entrega da declaração e a segunda etapa encerra em 31 de dezembro e o produtor tem até o dia 10 de janeiro para apresentar a declaração.

O produtor que deixar de vacinar terá sua ficha de movimentação de rebanho bloqueada e a propriedade fiscalizada pela Adapec, sendo autuado em R$ 5,32 por animal não vacinado e R$ 127,69 por propriedade não declarada. Além disso, deverá, no prazo de 5 dias após a notificação, vacinar as fêmeas bovinas com a vacina RB51 e apresentar a declaração na Agência.