CULTURA

Agulha Cenas realiza circulação do espetáculo de dança-teatro “No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas”

05/11/18 09:21 | Atualizado em: 05/11/18 09:21

O coletivo de criação cênica Agulha Cenas realiza circulação do espetáculo de dança-teatro “No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas” ao longo do mês de novembro, com apresentações gratuitas nas cidades de Porto Nacional, Paraíso do Tocantins e Gurupi. A primeira apresentação acontece na próxima quarta-feira, 7, às 20 horas, no Centro das Crianças, em Porto Nacional.



Posteriormente, o coletivo se apresenta em Paraíso do Tocantins no dia 14 de novembro, e em Gurupi no dia 21. O projeto tem patrocínio do Banco da Amazônia S.A., com apoio da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e do Instituto Federal do Tocantins (IFTO). O coletivo levará a cada cidade também oficina gratuita para estudantes e profissionais das artes cênicas.



As cenas foram desenvolvidas a partir de poemas breves de Fernando Pessoa que, abordados de maneira pessoal e subjetiva pelos criadores do espetáculo, mostram-se extremamente férteis diante da releitura e recriação cênica. “A obra poética de Fernando Pessoa é um dos principais legados culturais compartilhados da língua portuguesa e convoca novas gerações de artistas a estudar, compreender e dialogar com a sua profundidade humana e qualidade estética”, explica a bailarina Renata Oliveira.



No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas (2016) é um espetáculo solo de dança-teatro, criado pelo coletivo Agulha Cenas e interpretado pela bailarina Renata Oliveira. A narrativa transcorre em espaço e tempo psicológicos e é calcada na relação metafórica entre os ciclos da vida humana e os ciclos da natureza. Segundo Renata Oliveira, trata-se de um trabalho que parte da dança contemporânea e agrega materialidades, gestualidades corporais e vocais, em resposta a demandas expressivas geradas pela sua temática.



A bailarina reforça ainda que a saga da figura cênica feminina apresentada em No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas é de construção de identidade e de individualização. “O espetáculo instiga à reflexão sobre a necessidade de mudar constantemente para permanecer a mesma pessoa. Ao olhar para dentro de si, encontra analogias com os ciclos naturais ao seu redor. Assim, precisa descobrir como permanecer fiel a si mesma diante das mudanças. E, paradoxalmente, como renovar-se no curso de repetições e retornos”, explica.



Sinopse

Uma mulher apreensiva, espera pela chuva, apenas para ser surpreendida por sua beleza e efemeridade. Antes que, inevitavelmente, volte a chover, ela irá se deparar com outras sensações e durações. O espetáculo aborda os ciclos de vida e a necessidade de mudar constantemente para permanecer sendo a mesma pessoa. Apresenta imagens, movimentações, diálogos e canções compostas a partir de poemas breves de Fernando Pessoa.



Histórico

O espetáculo já foi selecionado para fazer parte da programação do II Festival de Solos e Monólogos de Palmas (2018) e do I Festival Internacional Corpo Expandido (2017). Foi também contemplado com recursos do Fundo Municipal de Cultura para apresentações em Palmas, no segundo semestre de 2018. O patrocínio do Banco da Amazônia S.A. viabiliza que o espetáculo chegue pela primeira vez em cidades do interior do estado do Tocantins.



Agulha Cenas

Em atividade desde julho de 2016, o coletivo Agulha Cenas, de Palmas-TO, tem obtido reconhecimento local e regional, com participação em festivais e contemplação com recursos de patrocínio da Fundação Cultural de Palmas e do Banco da Amazônia. Por meio de parceria com Sleepwalk Collective (Espanha), o grupo inicia também um movimento de internacionalização de seus horizontes, tendo sido contemplado com recursos da municipalidade de Vitoria-Gasteiz para projeto de intercâmbio cultural em outubro de 2018.

Agulha Cenas foi idealizado pela bailarina Renata Oliveira e pelo músico Heitor Oliveira, agregando também o ator Fabrício Ferreira, a bailarina Josely Rocha, a atriz Fátima Salvador e a fotógrafa Flaviana OX. Estabelece parcerias com profissionais e coletivos para crescimento mútuo e concretização de projetos específicos. Está sediado em Palmas, capital do estado brasileiro de Tocantins. O primeiro espetáculo de Agulha Cenas, No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas, inspirado em textos de Fernando Pessoa e com direção de Juliano Casimiro, estreia em novembro de 2016. O segundo trabalho, Horas Breves, com direção do Sleepwalk Collective estreia em março de 2018.



Cronograma

Porto Nacional

6 de novembro de 2018: Oficina “Costura Cênica”

7 de novembro de 2018: Espetáculo “No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas”

Paraíso do Tocantins

13 de novembro de 2018: Oficina “Costura Cênica”

14 de novembro de 2018: Espetáculo “No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas”

Gurupi

20 de novembro de 2018: Oficina “Costura Cênica”

21 de novembro de 2018: Espetáculo “No Ciclo Eterno das Mudáveis Coisas”

Duração: 45 minutos

Classificação indicativa: Livre

Entrada franca



Ficha técnica

Projeto cênico: Renata Oliveira e Heitor Oliveira

Textos: Fernando Pessoa

Direção artística, coreografia, cenário, figurino e atuação: Renata Oliveira

Composição e direção musical: Heitor Oliveira

Direção cênica e iluminação: Juliano Casimiro

Fotografia e design gráfico: Flaviana OX

Consultoria técnica de iluminação: Lúcio de Miranda

Preparação física: Paulo Soares (Neopersona Treinamentos)

Parceria (montagem): CONAC/UFT

Assessoria de imprensa: Cinthia Abreu