Educação

Cobrando pagamento de progressões e reajuste salarial, professores de Miracema param atividades nesta segunda

05/11/18 16:01 | Atualizado em: 05/11/18 17:38

Em Miracema do Tocantins, os professores da rede municiáo fizeram uma mobilização nesta segunda-feira, 05, e paralisaram as atividades. A categoria cobra o pagamento das progressões, reajuste de 4% no salário e uma definição, por parte da Prefeitura Municipal, de quando isso vai acontecer. 

De acordo com o Sindicato dos Professores, na cidade, mais de 200 profissionais estão paralisados e mil alunos ficaram sem aula. Ao todo, 5 escolas da rede municipal e três cmeis não tiveram aulas.

A mobilização dos professores contou com uma caminhada pelas ruas da cidade nesta segunda-feira. Os educadores saíram da sede do sindicato com destino a Prefeitura Municipal. No trajeto os professores seguravam cartazes e banners com dizeres que reforçavam a cobrança salarial.  

Segundo  a Prefeitura a paralisação foi parcial, e as escolas contaram com a presença de professores efetivos e contratados. Porém, mesmo assim, nove das 12 escolas municipais foram afetadas com a mobilização. A reposição, conforme comunicado da Prefeitura deverá acontecer no próximo dia 16 de novembro. 

Sobre a paralisação do dia 05 de novembro de 2018, comunicada pelo Sintet, no Município de Miracema do Tocantins, a Prefeitura esclareceu que o pagamento da folha do mês de outubro não foi liberado no dia 31, como de costume, devido a um bloqueio nas contas do município, ocasionado por problemas de gestões anteriores, o que já foi informado em nota pelo governo municipal.

"No entanto, o Município ainda está no período vigente para pagamento, conforme a CLT, que prevê um prazo de até cinco dias úteis para quitação da folha. A Prefeitura está, portanto, com sua folha em dia. Sobre o pagamento das progressões e do reajuste salarial referente à 2018, a atual gestão fez uma primeira reunião para ter conhecimento do diálogo iniciado com o ex-prefeito Moisés Costa. Na ocasião ficou acordado entre as partes que outra reunião seria realizada para conversas definitivas sobre o caso, permitindo um pequeno espaço de tempo para que o atual prefeito Saulo Milhomem estudasse a viabilidade financeira de atendimento à demanda. Assim, o governo municipal entende que a decisão pela paralização é precipitada, uma vez que as tratativas estão em curso". 

Em nota, a prefeitura informou também que tem buscado honrar junto a servidores e fornecedores, todos os compromissos financeiros, executando suas obrigações e contribuindo com a dignidade de homens e mulheres.