Câmara

Após polêmica sobre presidência de comissão ligada a mulher, Laudecy Coimbra justifica decisão

12/02/19 15:33 | Atualizado em: 12/02/19 15:22

Após críticas, a vereadora Laudecy Coimbra (SD) usou a tribuna da Câmara de Palmas nesta terça-feira, 12, para esclarecer porque não assumiu a presidência da Comissão Permanente de Assuntos dos Direitos da Mulher. Como única vereadora da Casa de Leis da Capital, a parlamentar foi alvo de uma polêmica nas redes sociais, após a eleição de presidência das Comissões Permanentes que aconteceu na quinta-feira, 7.

Segundo a vereadora, a justificativa é que a parlamentar é hoje líder de Governo e, de acordo com o Regimento Interno, não pode assumir a presidência de nenhuma Comissão Permanente. “Recebi muitos questionamentos sobre o porquê um homem estar à frente da Comissão da Mulher, sendo eu a única vereadora aqui. Eu já exerço uma função muito importante e é por isso que um homem preside a Comissão, não é questão de machismo ou descriminação por parte dos meus colegas”, comentou.

Durante a sessão, a vereadora foi defendida pelo prlamentar Milton Neris (PP). “Alguns amigos da imprensa acharam que havia uma incoerência de uma única vereadora não presidir uma comissão tão importante e que trata dos direitos do dia a dia das mulheres, mas infelizmente ou felizmente, esta mulher não preside esta Comissão, pois ela lidera os 19 vereadores. Estou tranquilo de ser liderado por vossa excelência, pois você faz com maestria seu trabalho e consegue aglutinar, mesmo com toda pluralidade de pensamentos entre os vereadores”, elogiou.