AGROTINS 2019

Flor do deserto é alternativa de renda para pequeno agricultor

10/05/19 09:14:12 | Atualizado em: 10/05/19 09:14:12

Apesar de ser uma planta exótica, a flor (ou rosa) do deserto se adaptou muito bem às condições do Tocantins. Originária de regiões áridas da África, Ásia e outras partes do planeta, elas podem se tornar uma alternativa de renda para o agricultor familiar, segundo o engenheiro agrônomo, Marcelo Gualberto Caldeira, da Diretoria da Agricultura Familiar da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro).

O engenheiro agrônomo diz que as flores do deserto (são várias espécies) possuem uma beleza exuberante e caíram no gosto do consumidor porque são de fácil cultivo e sua forma é muito bonita. “Elas se adaptam muito bem às regiões com clima quente, como o Tocantins, pois têm grande capacidade de armazenamento de água”, esclarece.

O técnico da Seagro ressalta que, ao trabalhar com plantas ornamentais, o pequeno agricultor consegue trazer renda para sua família, passando a ter um produto de fácil comercialização, devido à grande procura pelo público consumidor.

Uma das vantagens oferecidas pelo cultivo da flor do deserto é sua longevidade. “Se o produtor não conseguir comercializar imediatamente, ele não perde o seu produto, que fica para o próximo ano, ou até para dois anos depois, crescendo cada vez mais no quesito beleza, agregando valor. Isso quer dizer que sua comercialização pode ser bem planejada. Pode se organizar para comercializar imediatamente, mas também pode pensar em médio e longo prazo”, afirma Marcelo Gualberto.

O Tocantins já tem pequenos agricultores começando a cultivar a flor do deserto e vendendo o produto através de feiras, lojas de floricultura e até mesmo das redes de supermercado. Para agregar mais valor ao produto, é possível ao produtor confeccionar artefatos artísticos, desde o suporte para as plantas com sobras de produtos metalúrgicos a vasos ornamentais, associados às características da flor do deserto.