Publicidade

Educação

Senado aprova criação da Universidade do Norte do Tocantins que vai para sanção de Bolsonaro

Projeto de autoria da presidente da República foi aprovada no Senado nesta quarta-feira, 12

13/06/19 09:08:57 | Atualizado em: 13/06/19 09:08:57

Foi aprovada em Plenário nesta quarta-feira, 12, a criação da Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), sediada no município de Araguaína. O Projeto de Lei (PL) 2.479/2019, de iniciativa da presidência da República, desmembra a Universidade Federal de Tocantins (UFT) e vai à sanção presidencial.

Cursos, alunos e cargos dos campi de Araguaína e Tocantinópolis serão automaticamente transferidos para a UFNT, prevê a proposta, que também cria os campi de Xambioá e Guaraí.

Relatora na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) agradeceu a aprovação do projeto, afirmando que a universidade vai fazer a diferença não só para os jovens de Tocantins, mas também para os jovens do sul do Maranhão, do sul do Piauí e do sul do Pará.

"Todos terão a nova perspectiva de não mais estarem num campus universitário, mas agora na Universidade Federal do Norte do estado, que ainda engloba o campus de Tocantinópolis, o campus de Xambioá, o campus de Guaraí e, brevemente, teremos também o campus de Araguatins, no Bico do Papagaio", disse Kátia. 

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, enviou nota parabenizando a criação da UFNT.  "A estrutura da nova Universidade vai oferecer ainda mais oportunidades de qualificação e de desenvolvimento de uma região rica em potencial. E, que a partir de agora, poderá implantar seus próprios projetos e pesquisas que irão potencializar ainda mais o Norte do Estado, amplificando o conhecimento e abrindo novos horizontes não só para esta região, mas para todo o Tocantins e o Brasil". 

A UFT tem hoje mais de 20 mil alunos, oferecendo cerca de 50 cursos presenciais de graduação, entre licenciaturas, bacharelados e cursos tecnológicos.