De olho na política

Por Erica Lima

Coluna

17/05/22 07:13 | Atualizado em: 17/05/22 07:13

POLÍTICA

Candidatura de Mantoan gera questionamentos: A hipocrisia ainda reina na política do Tocantins







Nas rodas de conversas políticas em Palmas, um assunto tem chamado a atenção: a possível candidatura de Eduardo Mantoan, marido da prefeita da Capital, Cinthia Ribeiro.

Pessoas conhecidas do mundo da política têm criticado o fato da gestora de Palmas estar tentando emplacar o marido em uma das vagas de deputado federal.

Muita hipocrisia em um mundo em que a famíliocracia e o patriarcado ainda reinam.

No estado, existem exemplos interessantes. O ex-governador Marcelo Miranda elegeu sua esposa, Dulce, como deputada federal. Siqueira, fez de seu filho Eduardo prefeito de Palmas e senador. O próprio governador Wanderlei Barbosa tem um irmão vereador e um filho deputado estadual. Sem contar Ronaldo Dimas, que está lá na oposição ao Araguaia, mas que elegeu Tiago Dimas, seu filho, como deputado federal.

A familiocracia no Tocantins não é algo recente. Desde sua criação, a política é exercida no estado respeitando as relações familiares

De pai para filho e, dentre outros parentescos, as teias e legados políticos vão sendo expandidos em pleno século XXI.

A pergunta é: Porque o caso de Mantoan soa tão diferente e causa tanta controvérsia entre os próprios políticos?

A resposta pode até estar errada, mas é proveniente do machismo que ainda rodeia a sociedade. Para eles, uma mulher não poder dar prosseguimento ao seu legado político.

Muita hipocrisia para um estado que tem mãe e filho como senadores.


 

09/05/22 07:41 | Atualizado em: 09/05/22 07:41

POLÍTICA

Wanderlei terá o desafio de realizar a Agrotins em meio a mudanças no Ruraltins e a falta de investimentos em publicidade






A semana começa com muito expectativa. O governador Wanderlei Barbosa tem a missão de retomar a Agrotins após dois anos de edições virtuais do evento.

A maior feira agrotecnológica da região norte do Brasil começa nessa terça, 10. Esse é o maior evento da gestão de Wanderlei e será realizada em meio a mudanças na cúpula do Ruraltins, um dos órgãos da linha de frente da organização.

A última edição presencial da feira, realizada em 2019, contou com 710 expositores, 150 mil visitantes e um volume de negócios de R$ 2,5 bilhões. O objetivo do governo é superar esses números em 2022.

Wanderlei também terá como desafio a impossibilidade de investir em publicidade, já que sua gestão esbarrou em dois imbróglios: O primeiro são as questões eleitorais e o segundo foi o cancelamento do processo licitatório para contratação das empresas que ficariam responsáveis pela publicidade do Governo.

Toda divulgação da Agrotins deverá ser realizada por meio das redes sociais e da veiculação de mídias espontâneas. A falta da publicidade poderá impactar negativamente o resultado do evento.

A 22ª edição da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins 2022) que acontece de 10 a 14 de maio, no Parque Agrotecnológico do Tocantins.







04/05/22 07:07 | Atualizado em: 04/05/22 07:07

POLÍTICA

Aliados tentam minar relação de Kátia e Wanderlei, mas estratégia pode trazer riscos






O site do jornal Paralelo 13 trouxe a informação de que em uma reunião na residência de Valdemar Júnior (Republicanos), cerca de 19 deputados se mobilizaram contra a aliança entre o Palácio Araguaia e a senadora Kátia Abreu (PP).

Os deputados querem que Wanderlei Barbosa (Republicanos) se aproxime da deputada federal Professora Dorinha (UB), pré-candidata ao senado. Os parlamentares estão de olho no apoio do União Brasil, considerado um superpartido com um orçamento de cerca de R$ 1 bilhão.

Uma coisa é clara, desde a semana passada está sendo ventilada nos bastidores uma tentativa de minar a relação entre Kátia e Wanderlei. O que os aliados estão esquecendo é que a aliança entre os dois não é insignificante para o governador.

Ainda que, por enquanto, não representem o maior número de eleitores, Kátia traz consigo toda a expertise política que adquiriu ao longo de sua carreira. Além disso, sua aliança com a família de Vicente Alves lhe deu direito a um espólio.

Estima-se que os Abreu e os Vicentes têm juntos 85 prefeitos aliados. O que o palácio analisa é se vale a pena abrir mão desse ganho político.

Muitos temem que Kátia e Irajá optem pela disputa ao Palácio Araguaia, abrindo mão de uma das vagas ao senado. Uma coisa é certa, a parlamentar e sua equipe política está embasada em pesquisas e todos os cenários estão sob análise, inclusive o da possível candidatura de Irajá ao Governo do Tocantins.

Cada passo de Wanderlei Barbosa deve ser analisado com cuidado. Porque as estatísticas mostram que de todos os ocupantes de mandatos tampão, apenas Mauro Carlesse conseguiu se reeleger.

Uma coisa é certa, as chapas não estão formadas e muita coisa pode acontecer até a definição final.

20/04/22 07:02 | Atualizado em: 20/04/22 08:58

POLÍTICA

Com mais acertos que erros, Wanderlei completa seis meses de gestão





Wanderlei completa nesta quarta-feira, 20, seis meses de governo acumulando mais acertos que erros. Suas decisões devem lhe render importantes dividendos políticos.

O gestor assumiu o governo no dia 20 de outubro, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) afastou o então mandatário, Mauro Carlesse.

Wanderlei entrou, manteve o ritmo da gestão, garantiu a segurança das instituições e com isso fomentou os investimentos.

Montou um primeiro escalão com perfil técnico e político e vem conduzindo o estado de forma simples, respeitando os outros poderes e valorizando as lideranças do interior.

Com grande experiência no parlamento, Wanderlei, que começou sua carreira como vereador, não tem tido dificuldade para desenvolver uma gestão municipalista e por onde passa angaria apoiadores e já explora toda a sua tocantinidade, característica essa que deve ser explorada em sua campanha a reeleição.

Na gestão, ele não tem feito movimento brusco. Tem buscado dar continuidade a projetos pré-existentes e investir em problemas que afetam diretamente a população.
Um dos seus principais problemas, criticado por aliado e adversário, é a situação da malha viária tocantinense, que piorou com a saída de Carlesse. Wanderlei arregaçou as mangas e determinou um esforço coletivo para solução dessas demandas, com início dos trabalhos ainda em período chuvoso.

Ele também embaralhou-se na tentativa de acertar ao reajustar os salários dos servidores, o que, segundo especialistas,  pode ter desdobramentos importantes para as finanças do estado.
Mas no geral, tem mantido os investimentos em infraestrutura, a qualidade dos serviços públicos e a segurança jurídica e política do estado.

O chefe do poder executivo tem expertise política e em outubro virá com uma chapa competitiva em busca da reeleição.



18/04/22 08:33 | Atualizado em: 18/04/22 08:33

POLÍTICA

Seis nomes são indicados para o senado, mas disputa deve ficar entre Dorinha e Kátia






Seis nomes se destacam para a disputa por uma vaga no senado este ano. O ex-governador Marcelo Miranda (MDB , o ex-senador Ataídes Oliveira (PROS), o empresário João Helder Vilela (PT), o ex-técnico de futebol Vanderlei Luxemburgo (PSB), a deputada federal Professora Dorinha (UB) e a senadora Kátia Abreu (PP).
Entretanto, tudo indica que a disputa ficará entre as duas mulheres. Kátia Abreu e Professora Dorinha devem se enfrentar nas eleições de outubro. Essa disputa, exclusivamente feminina, será inédita na história do Tocantins.

Kátia, que está dentro do mandato, possui uma ligeira vantagem. Grande articuladora, conseguiu agregar grandes nomes da política tocantinenses e isso lhe rendeu o apoio de 85 dos 139 prefeitos. Porém, a largada ainda não foi dada, e a líder ruralista tem acumulado desgastes provenientes de sua atuação na chamada “velha política”. Obstinada, Kátia possui atualmente o comando de quatro partidos.

Já a Professora Dorinha ainda possui o espólio da educação, conquistado na época em que era secretária de estado e preservado durante seu trabalho na Câmara Federal. Atualmente, ela está no posto de uma das parlamentares mais influentes do Congresso Nacional.

Dorinha está em seu terceiro mandato, e sua imagem ficou consolidada como defensora da educação. Famosa pelo discurso coerente, é um nome com enorme capilaridade de voto, tendo apoio em todos os municípios do Estado.

Tudo indica que Kátia estará no palanque de Wanderlei Barbosa e Dorinha no de Ronaldo Dimas. No meio político as convicções são de que a disputa será entre as duas sem chances para um terceiro nome.



11/04/22 07:53 | Atualizado em: 11/04/22 07:53

POLÍTICA

Cresce desconfiança quanto a candidatura de Ronaldo Dimas





Para muitos, o cenário para as eleições de 2022 já está configurado. Duas chapas irão balancear o processo.

De um lado teria o governador Wanderlei Barbosa (Republicanos), que entraria na disputa com a senadora Kátia Abreu (PP) buscando a reeleição para a vaga ao Senado. Do outro lado aparece o ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PL), apadrinhado pelo senador Eduardo Gomes (PL) e com a deputada federal professora Dorinha (UB) na disputa pelo Senado.

Aliados garantem que a chapa de Barbosa está formada e além de Kátia, também terá Laurez Moreira na vaga de vice, definição estabelecida em um acordo firmado ainda em fevereiro. Alguns chegaram a cogitar que Kátia Abreu poderia desistir de apoiar o Palácio Araguaia em prol de uma candidatura de seu filho, o senador Irajá, ao Governo do Tocantins. “Kátia tem pesquisa, ela sabe o lado que lhe garantirá uma disputa confortável, e esse lado é o de Wanderlei”, disse um apoiador.

Já na oposição, muitas lideranças não acreditam na consolidação da candidatura de Dimas. “Ainda faltam seis meses, e Dimas está em uma campanha adiantada, nadando feito atleta, mas pode morrer na praia”, disse ao Portal Stylo um vereador de um município da região Sudeste.

A desconfiança dos líderes quanto essa candidatura aumentou após a repentina mudança de partido do senador Eduardo Gomes (PL) dentro da “janela partidária”, uma manobra que pode custar a candidatura Dimas. “Eduardo Gomes é o candidato automático do PL. Ele vem com toda a expertise do Palácio do Planalto e com o apoio do presidente Bolsonaro, que quer no Tocantins, um palanque forte e com chances de vitória”, explicou.

Para os líderes, se Gomes não tivesse a intenção de entrar na disputa, não teria realizado a troca de sigla. Considerado grande articulador, líderes acreditam que Gomes seria o candidato ideal. Muitos creem que esse cenário ainda pode mudar com a possibilidade de substituição do nome de Dimas.
Nas rodas de debates, o assunto é o mesmo: faltam quase seis meses para a disputa e muita água vai rolar até lá.

 

08/04/22 07:01 | Atualizado em: 08/04/22 07:01

POLÍTICA

Silenciosamente, Janad Valcari vai colecionando apoiadores no interior do Tocantins




A presidente da Câmara de Palmas, Janad Valcari (PL), de maneira discreta, colocou a sua pré-campanha na rua e deve ser um nome forte na disputa por uma das vagas no parlamento estadual.

Conhecida pelos discursos truculentos e pelo embate, a parlamentar está conquistando o poio de lideranças no interior.

De acordo com fontes do Portal Stylo, Janad já é um dos principais nomes no Sudeste do Tocantins, defendida por muitas lideranças e crescendo no ranking dos preferidos. Em alguns municípios já tomou a preferência de políticos conhecidos, a exemplo de Cláudia Lelis, que deixou de ser a queridinha em alguns municípios. “A deputada Claudia passou o mandato todo na região, mas perdeu seu espaço pra professora Janad em um piscar de olhos”, disse um aliado.

Mestre na articulação, a vereadora já conta com o apoio de 82 vereadores e se destaca para a disputa.

Janad Valcari é advogada, empresária e professora e reside em Palmas desde 1992. Antes de ser empresária, Janad também já trabalhou como vendedora e corretora de imóveis e desde 2007 desempenha trabalho social em Palmas por meio do Projeto "Plantando e Colhendo o Bem". Foi eleita vereadora com 2083 votos.
 
 

24/03/22 08:54 | Atualizado em: 24/03/22 08:54

POLÍTICA

Enfraquecido por fogo amigo, Laurez já pensa na disputa a federal, dizem aliados







Mesmo se colocando como pré-candidato a governador do Tocantins, aliados garantem que o ex-prefeito de Gurupi, Laurez Moreira (PDT), não tem força para ir além da disputa de uma vaga na Câmara Federal.

Desde que trocou o Avante pelo PDT, em fevereiro, um dos partidos que integra o grupo de apoio ao governador Wanderlei Barbosa (Republicanos), Laurez já havia deixado de ser visto como nome forte para a disputa pelo Araguaia. O ex-prefeito de Gurupi passou a figurar na lista favoritos pelo posto de vice na chapa de Wanderlei, mas uma crise política que o afastou seus apoiadores tem minado suas chances de adentrar na chapa do atual governador.

Segundo fontes do Portal Stylo, a crise teria começado com o acordo que culminou na posse de Gutierres Torquato na vaga de Ricardo Ayres na Assembleia. Nos bastidores circula a informação que um dos termos do acordo seria o apoio de Laurez e seu grupo à candidatura de Ayres a deputado federal.

Amastha, pré-candidato a Câmara Federal, não gostou e articulou a debandada do grupo em Gurupi. Destituiu Torquato da presidência municipal do PSB , trouxe consigo Antonio Stival (PSDB) e articulou a adesão de Eduardo Fortes ao PSD, partido da família Abreu.

Sozinho, Laurez tem sentido dificuldade de agregar e já pensa em mudar de planos. Favorito à vaga de vice, apareceu o nome de Vicentinho Alves, ex-senador recém-filiado ao PP. Na segunda posição vem o empresário Edison Tabocão, vice-presidente do PSD estadual.

Uma coisa é certa, tudo caminha para que o vice seja uma indicação do grupo ligado a Kátia Abreu. Laurez já aparece como carta fora do baralho.
 

21/03/22 08:05 | Atualizado em: 21/03/22 08:05

POLÍTICA

Gestores das maiores cidades tendem a apoiar oposição; entenda





Aos poucos o cenário para as eleições de 2022 vem sendo formado e existe muita expectativa em relação aos caminhos que os prefeitos das maiores cidades do estado (Palmas, Araguaína e Gurupi) devem seguir.

A tendência é que todos eles fiquem com a oposição ao Palácio Araguaia. Wanderlei Barbosa terá um caminho árduo a percorrer sem o apoio dos maiores colégios eleitorais

Em Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB) ainda não definiu seus caminhos. A Capital possui atualmente 187.371 eleitores, de acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral, e aliados acreditam que Cinthia Ribeiro deve apoiar a candidatura de Ronaldo Dimas (PL). A gestora tem uma forte ligação com a família Gomes. André, irmão do senador Eduardo Gomes, é seu vice-prefeito e isso poderá facilitar os acordos. Cinthia já está sendo vista em eventos na presença do pré-candidato, o que tem aumentado as especulações sobre a sua decisão.

Araguaína é a segunda maior cidade do estado e possui o segundo maior colégio eleitoral, com pouco mais de 107 mil eleitores. Lá, o prefeito Wagner Rodrigues (PL), é grande aliado de Dimas. O gestor tem feito um governo que prega a continuidade dos serviços de seu antecessor. Ele é chamado nos bastidores de “fiel escudeiro de Dimas”, isso porque, tem acompanhado o pré-candidato desde a época em que era presidente da Fieto.

Já em Gurupi, a prefeita Josi Nunes (UB), aliada do ex-governador Carlesse, já tem sinalizado que também deverá apoiar o projeto de Ronaldo Dimas. A gestora já é presença frequente nos evento do pré-candidatos e deve trabalhar para que a maioria dos 55195 mil eleitores do munícipio opte pelo candidato.

O apoio dos três lideres será estratégico nas eleições deste ano e a expectativa é de que as decisões seja apresentadas ainda em abril.

15/03/22 07:37 | Atualizado em: 15/03/22 07:49

POLÍTICA

Wanderlei cumpre dever de casa e mantém estabilidade político-econômica do estado






O último governador eleito em eleições diretas a terminar o seu mandato foi o escolhido em 2002.

De lá pra cá, se foram quatro mandatos e nenhum dos gestores concluíram o período. São 13 anos de instabilidade.

Garantir a estabilidade do estado é o principal desafio do novo governador Wanderlei Barbosa. As trocas repentinas de gestores causam a desconfiança de investidores, fornecedores e até mesmo dos servidores.

Filho da terra e entendedor dos problemas do estado, Wanderlei tem feito o dever de casa e mantido os compromissos firmados na gestão anterior. Pagou fornecedores, manteve investimentos e os servidores continuaram a receber de maneira antecipada, no final de cada mês.

Sem esquecer dos debates eleitorais, tem ido ao interior, buscado o apoio de lideranças e agregando apoiadores para a sua gestão.

Wanderlei também tem atuado para manter a capacidade de investimentos do estado. Ele tem respeitado os limites fiscais e mantido o bom andamento das obras de infraestrutura iniciadas durante a gestão Carlesse/Wanderlei.

Desde que assumiu o governo, em outubro, Wanderlei tem evitado que o Estado adentre em uma crise política. Diferente de gestão anteriores, tem conversado com os outros poderes e trabalhado em conjunto com as bancadas federal e estadual.

O gestor deve disputar a reeleição com chances reais de êxito e com a possibilidade de conquistar um mandato completo.


02/03/22 09:16 | Atualizado em: 02/03/22 09:16

POLÍTICA

Janela partidária começa nesta quinta e já movimenta bastidores






Começa nesta quinta-feira, 3, a “janela partidária. Trata-se de um prazo para que candidatos mudem de partido sem risco de perder o mandato.

O prazo é válido por 30 dias e termina no dia 1º de abril. Até lá, no Tocantins, deputados federais, estaduais e até senadores e movimentarão em mudanças de sigla que servirão como estratégia visando as eleições de 2022.

O deputado federal Carlos Gaguim, anunciou que deixará o DEM, partido no qual ingressou em 2018, para ingressar no Republicanos.

Outro parlamentar da bancada federal que deve trocar de sigla é Vicentinho Junior, atualmente no PL. Ele justificou a saída do PL pela impossibilidade de “falar/tratar de política junto com membros do grupo do afastado governador” Mauro Carlesse (PSL). A expectativa é de que ele faça a adesão do PP de Kátia Abreu com a anuência do presidente nacional da sigla, Ciro Nogueira.

Na Assembleia, a maioria dos deputados aguardam um posicionamento do governador Wanderlei Barbosa para, após isso, decidirem seus caminhos. Mas, o troca-troca de partidos deve atingir Elenil da Penha, Ricardo Ayres e Fabion Gomes.

Nos bastidores circula a informação de que o senador Eduardo Gomes deve trocar o MDB pelo PL.

Após a janela partidária, será possível fazer uma leitura mais precisa do xadrez eleitoral em alguns estados. A troca de partido no ano eleitoral permite uma reconfiguração das forças políticas no cenário das próximas eleições.

A janela partidária está prevista na Lei das Eleições (Artigo 93-A da Lei 9.504/1997) e, por isso, faz parte do calendário eleitoral. Trata-se de uma mudança regulamentada na Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015). À época, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou o entendimento de que o mandato obtido nas eleições proporcionais (deputados e vereadores) pertence ao partido, e não aos candidatos eleitos. A regra também está prevista na Emenda Constitucional nº 91/2016.
 

14/02/22 18:12 | Atualizado em: 14/02/22 19:25

POLÍTICA

Confirmado: Ricardo Ayres deixa Assembleia e abre vaga para Gutierres Torquato






O Portal Stylo antecipou na semana passada que, com o objetivo de prestigiar lideranças do norte e do Sul, o governador em exercício estava articulando a abertura de duas vagas para suplentes na Assembleia Legislativa. Um deles seria do Sul e o outro do Norte.

Nesta segunda-feira, 14, o suplente de deputado Gutierres Torquato confirmou ao Portal Atitude Tocantins que vai assumir uma cadeira na Assembleia na próxima quarta-feira, 16.

Torquato assume a vaga deixada por Ricardo Ayres, que pode assumir um posto na gestão de Wanderlei Barbosa.

O suplente tem uma ligação próxima com o ex-prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, que aderiu recentemente ao PDT, partido da base de apoio de Wanderlei Barbosa. Torquato foi candidato a prefeito na Capital da Amizade, mas perdeu as eleições para Josi Nunes.

Em 2018 ele concorreu a uma das vagas para deputado estadual e ficou na suplência com 13874 votos.

Além de Ayres, outro deputado também deve se afastar da função com a articulação de Barbosa.
 

09/02/22 07:58 | Atualizado em: 09/02/22 07:40

POLÍTICA

Janad endurece discurso contra Cinthia na tribuna e repercute nas redes socais


Um discurso considerado inóspito, rude e indelicado proferido pela presidente da Câmara de Palmas, Janad Valcari, marcou a abertura do ano legislativo e repercutiu nas redes sociais.

A parlamentar criticou a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, que precisou se ausentar da sessão para amamentar seu filho Vittorio, de quase 3 meses. “Ela desrespeitou os vereadores, desrespeitou as autoridades e desrespeitou o povo. Prefeita, você é uma fujona”, disse Janad na tribuna.

O discurso de Janad repercutiu de forma imediata nas redes sociais e a prefeita usou o Twitter para rebater as críticas. “Amamentar é um direito sagrado. Espernear também. A pessoa que não entende isso nasceu de chocadeira, só pode”, disse.

Segundo Cinthia, após duas horas de solenidade precisou amamentar seu filho. “Hoje participei de uma solenidade na Câmara de Vereadores de Palmas p/ abertura do ano legislativo. Após 2 horas precisei sair p/ amamentar meu filho Vittorio, de 2 m”, disse a postagem

A legislação é clara. As mães que trabalham e que amamentam nos primeiros seis meses têm direito, por lei, a duas pausas, de meia hora cada uma, para amamentar, ou a sair 1 hora mais cedo do trabalho.





04/02/22 15:11 | Atualizado em: 04/02/22 15:17

POLÍTICA

Luxemburgo busca apoio de deputados


De andanças pelo Tocantins, o técnico de futebol e empresário, Wanderlei Luxemburgo, esteve no Palácio Araguaia  tentando articular a sua candidatura ao Senado Federal.

Luxemburgo conversou circulou pelos corredores e buscou apoio de alguns deputados. Um dos encontros da tarde foi com a deputada Vanda Monteiro.

O empresário está de olho na popularidade política que a parlamentar tem em Palmas.



03/02/22 08:36 | Atualizado em: 03/02/22 09:04

POLÍTICA

Nos bastidores, nome de Irajá começa a aparecer como pré-candidato






Cresce a informação de que o senador Irajá Abreu (PSD) deve ser lançado candidato a governador do Tocantins.

Segundo aliados, a possibilidade tem sido verbalizada, pela sua mãe, a senadora Kátia Abreu (PP) que já tem buscado angariar apoio para a missão.

A ideia de ascensão de Irajá ao Palácio Araguaia, vai contra a atual situação do cenário, em que Kátia caminha ao lado do atual governador em exercício e pré-candidato a reeleição, Wanderlei Barbosa. A senadora chegou a convidá-lo para aderir ao seu partido PP.

Nos bastidores, alguns acreditam em uma candidatura própria dos “Abreus”, mas outros creem que Kátia buscará a melhor oportunidade para garantir a reeleição ao Senado, já que teve os planos de ir para o TCU frustrados, por isso ela avaliará o melhor cenário que lhe encaixa, e por enquanto o melhor cenário é o que inclui o governador em exercício.


24/01/22 08:19 | Atualizado em: 24/01/22 08:19

POLÍTICA

Alvo de campanha nas redes sociais, Eduardo Gomes deve se encontrar com Bolsonaro esta semana





Um reportagem do portal Valor Econômico sobre a agenda política da semana do presidente Jair Bolsonaro, diz que o senador tocantinense Eduardo Gomes (MDB-TO), que é líder do Governo no Congresso Nacional, está sendo esperado pelo gestor essa semana com o objetivo de traçar a estratégia governista para o ano no Parlamento.

Deputados e senadores ainda estão de recesso, que acaba em 1º de fevereiro.

No Tocantins, Eduardo Gomes é alvo de uma campanha intitulada “Queremos Eduardo Gomes governador do Tocantins”. O card da campanha circulou de forma maciça esse final de semana em grupos de Whatsapp.

A decisão sobre uma possível candidatura, segundo aliados, deve ficar para março.