Publicidade
Publicidade
Publicidade

Operação Fifty-fifty,

Polícia Federal desarticula associação criminosa suspeita de cometer fraudes bancárias contra a Caixa Econômica Federal

22/07/21 09:58:19 | Atualizado em: 22/07/21 09:58:19

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (22/07) a “Operação Fifty-fifty” com o objetivo de desarticular associação criminosa suspeita de realizar fraudes bancárias
eletrônicas para o pagamento de boletos, gerando prejuízos à Caixa Econômica Federal.

Ao todo 12 (doze) Policiais Federais cumprem 3 (três) mandados de busca e apreensão nas cidades de Guaraí/TO e Pindorama do Tocantins/TO, todos expedidos pela 4a Vara Federal de Palmas/TO.

Durante as investigações, a Polícia Federal apurou que empresários teriam se utilizado dos serviços de “crackers” para pagamento de boletos por intermédio de fraudes eletrônicas ao sistema bancário. Esses boletos eram pagos integralmente por esses “crackers”, a partir da invasão de contas bancárias de terceiros.

Os investigados obtinham um lucro de 50% dos valores em relação aos valores dos boletos, visto que pagavam somente 50% dos valores em boleto aos cyberpiratas pela prestação do serviço.

A operação deflagrada pela Superintendência Regional da Polícia Federal no Tocantins tem como objetivo a proteção ao erário e a valorização da regular atividade econômica no Estado, buscando coibir as práticas criminosas utilizadas por algumas empresas para a quitação de suas obrigações financeiras. Com esta ação a Polícia Federal espera, ainda, robustecer o conjunto probatório formado, assim como colher novos elementos da participação de outros criminosos, que participem e/ou se utilizem do mesmo “modus operandi”. Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de furto qualificado mediante fraude e estelionato.

O nome de “Fifty-fifty”, em livre tradução, “meio a meio”, refere-se à prática de repartição pela metade de encargos ou benefícios, utilizada pela associação criminosa.
Destaca-se que, em razão da atual crise de saúde pública, foi adotada logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI's a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.