Crime

Justiça nega pedido de Fábio Pisoni que continua preso em Gurupi

18/05/22 12:00:56 | Atualizado em: 18/05/22 12:00:56

Em decisão desta quarta-feira, 18, a Justiça negou o pedido de revogação da prisão preventiva de Fábio Pisoni. Ele foi condenado a 26 anos pelo crime de assassinato do estudante de agronomia Vinícius Duarte de Oliveira em Gurupi, no ano de 2007. Pisoni estava cumprindo a pena em liberdade até fevereiro deste ano, quando foi visto por um promotor de Justiça bebendo em um restaurante no período da noite.

A negativa veio do ministro Jesuíno Rissato, desembargador do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), convocado para o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Para cumprir a pena em liberdade, Pisoni deveria cumprir medidas cautelares, tais como: não frequentar bares, boates ou ambientes similares e a proibição de tomar qualquer tipo de bebida alcóolica.

No mês passado, ele teve um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça (TJTO) com o mesmo pedido. Na justiça tocantinense, a defesa de Pisoni tentou sua liberdade no Superior Tribunal de Justiça, alegando constrangimento ilegal na ausência de fundamentação concreta e idônea para a prisão preventiva. O ministro argumentou que não identificou constrangimento ilegal e nem a presença de nenhum dos requisitos para a revogação da prisão preventiva e negou a liberdade a Pisoni.