PALMAS

Técnicos e auxiliares falam do trabalho e cuidado aos pacientes na Capital

20/05/22 08:42:33 | Atualizado em: 20/05/22 08:42:33

Eles estão o tempo todo ao lado do paciente ao fazer a triagem, ao controlar a medicação, no cuidado da higiene, buscando o máximo conforto possível à população no ambiente de saúde. Nesta sexta-feira, 20, é comemorado o Dia Nacional do Auxiliar e Técnico de Enfermagem. E para homenagear os 459 profissionais que dão suporte e auxiliam toda a equipe de saúde, conversamos com alguns deles sobre os desafios, a dedicação pela profissão e a rotina de trabalho na rede de saúde da Capital.

Com oito anos atuando na enfermagem na Unidade de Saúde da Família (USF) da Arne 64, a técnica Dânila Carmem, 29 anos, conta que se identificou com a área da saúde desde que a filha Yasmin, ainda pequena, começou a ter problemas de saúde. “Eu vivia na unidade de saúde aqui perto da minha casa ou UPA com a minha filha. Todas as vezes que a levava para os atendimentos, ficava observando o trabalho da enfermagem, sentia alegria e os meus olhos brilhavam. Me apaixonei pela profissão, pelo ato de ajudar as pessoas. E aqui estou desde 2014, me dedicando e tentando prestar o melhor atendimento aos pacientes que procuram o serviço de saúde”, diz orgulhosa.

A técnica em enfermagem Daiana Maria da Silva, 32 anos, é reconhecida pelos colegas da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte pelo seu profissionalismo e paixão pela enfermagem. Depois de 12 anos na profissão, Daiana está cursando agora o terceiro período de Enfermagem e fala como seu interesse cresceu pela profissão. “A curiosidade me levou à graduação, pois eu não queria só cuidar, eu queria cuidar e saber como cuidar, saber o que fazer para melhorar a vida e a situação da pessoa. Com a ciência e uma boa dose de dedicação o resultado é fantástico. Portanto, não é só saber fazer, e sim fazer bem feito, com bases teóricas, científicas e com carinho, é claro”, declara a profissional.

Para a coordenadora da Enfermagem da UPA Norte, enfermeira Viviane Rosal Fonseca de Toledo, os técnicos e auxiliares prestam um papel fundamental na rede de saúde, pois estão ligados diretamente no atendimento aos pacientes. “Eles prestam um suporte importantíssimo aos demais profissionais, contribuem com a equipe de Enfermagem em diversas atividades e são profissionais guerreiros, pois acima de tudo, é exigido uma estabilidade emocional, uma vez que lidam diariamente com situações delicadas, de sofrimento dos enfermos e dos familiares”, observa a enfermeira.

Para o secretário de saúde de Palmas, Thiago Marconi, saber do sentimento de satisfação e dos auxiliares e técnicos de enfermagem no trabalho representa um importante indicador para a gestão, uma vez que o conhecimento desses sentimentos pode ajudar a auxiliar na melhoria de elementos importantes para o bem-estar desta categoria de trabalhadores.