POLÍTICA

TRE deve julgar nesta terça o recurso do processo que cassou mandato de Josi e deixou Carlesse inelegível

A Ação de Investigação Eleitoral (Aije) é de autoria do candidato derrotado pela dupla nas eleições de 2020, Gutierres Torquato (PSB).

21/06/22 08:33:34 | Atualizado em: 21/06/22 16:40:45

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), deve julgar nesta terça-feira, 21, o recurso eleitoral da prefeita de Gurupi, Josi Nunes (União), do vice-prefeito, Gleydson Nato (PL), e do ex-governador Mauro Carlesse (Agir) contra a sentença de cassação de diplomas e que resultou na inelegibilidade do ex-governador.

O trio busca reverter a sentença de primeira instancia proferida pelo sentença do juiz da Nilson Afonso da Silva, da 2ª Zona Eleitoral de Tocantins. Eles foram condenador por abuso de poder político nas eleições municipais de 2020.

A Ação de Investigação Eleitoral (Aije) é de autoria do candidato derrotado pela dupla nas eleições de 2020, Gutierres Torquato (PSB).

O Ministério Público Eleitoral (MPE) apresentou parecer favorável à cassação dos mandatos . No documento, o procurador João Gustavo de Almeida Seixas minimizou a cessão de servidores estaduais à campanha dos então candidatos e, sobre esta acusação, apenas sugeriu a aplicação de multa por não ver gravidade suficiente para influenciar na disputa. Entretanto, a distribuição de cestas básicas no município pelo Palácio Araguaia durante o pleito foi considerada prática de abuso de poder político. O procurador também pede o imediato afastamento de Josi e Nato e a realização de novas eleições.

Entenda

No final de 2021, o juiz da 2ª zona eleitoral, Nilson Afonso da Silva decidiu que o governador afastado Mauro Carlesse (PSL), a prefeita de Gurupi Josi Nunes (PSL) e o vice-prefeito Gleydson Nato Pereira estão inelegíveis pelo prazo de oito anos, contados a partir das eleições de 2020. O magistrado também cassou os diplomas e os mandatos de Josi Nunes e de Gleydson Nato Pereira.

A investigação apura a prática de abuso de poder político, com cessão de servidores públicos e estrutura da gestão para atuar na campanha eleitoral.

Apura também abuso de poder econômico praticados com a contratação e pagamento de sites de notícias durante a gestão de Carlesse na campanha eleitoral que elegeu Josi Nunes.

A decisão determina o afastamento da prefeita e do vice após o trânsito em julgado da ação.